Auxílio Emergencial Cancelado – Novo prazo para contestação

Cidadãos que tiveram o Auxílio Emergencial 2021 cancelado podem verificar a possibilidade de retomar o pagamento do benefício até 28 de maio. Confira o passo a passo:

0

Cidadãos que tiveram o Auxílio Emergencial cancelado após o recebimento da primeira parcela, terão 10 dias para contestar a decisão de acordo com o Ministério da Cidadania. O prazo iniciou nesta terça-feira (18) e vai até 28 de maio. É preciso verificar a possibilidade diretamente no site https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/.

Este cronograma é válido somente para o público geral. Já para os beneficiários do Bolsa Família, o prazo encerra no dia 1º de junho. Com as alterações das regras de recebimento do benefício, os cancelamentos são realizados e, função de revisões mensais realizadas através do cruzamento de dados pelo governo.

Contestar auxílio emergencial cancelado

É preciso verificar se a possibilidade de contestação está disponível e assim retomar o pagamento do benefício. A contestação é feita somente pelo site https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/.

Lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

No site, informe o número do CPF, nome completo, nome da mãe completo e a data de nascimento. Após a inserção destes dados, clique em enviar. Aparecerá na tela uma lista com as parcelas pagas e a receber.

O procedimento para contestar é bem simples:

Verifique se existe alguma parcela com a situação cancelada dentro do site e clique no botão “contestar”. Caso o cancelamento do auxílio emergencial possa ser contestado, o beneficiário suspenso é reanalisado pela Dataprev e poderá voltar a receber as parcelas, se aprovado.

É importante lembrar que nem todos os casos podem ser contestados. E também ter atenção aos prazos, tanto para não perder a contestação, como para coletar as comprovações necessárias. Elas são importantes em situações onde, mesmo tendo direito, o beneficiário não venha a receber e dessa forma poderá recorrer por via judicial.

Critérios para recebimento do auxílio emergencial 2021

Com a mudança das regras, muitas pessoas receberam em 2020 e forma excluídas da folha de pagamento em 2021, ou em alguma parcela deste ano. É importante o beneficiário verificar mês a mês se ainda se enquadra nos seguintes requisitos:

  • Ser trabalhador informal; ou
  • Beneficiário do Bolsa Família;
  • Ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300);
  • Ter renda familiar per capita mensal de até meio salário mínimo (R$ 550);
  • Ter recebido o auxílio emergencial no ano passado.

Quantos foram beneficiados?

O pagamento da primeira parcela do Auxílio Emergencial 2021 alcançou um total de 39,1 milhões de famílias. Deste total de cidadãos elegíveis, existem cerca de 23,89 milhões de contemplados via aplicativos e meios digitais; 10,01 milhões vindos através do Bolsa Família e outros 5,27 milhões do Cadastro Único (exceto Bolsa Família).

A Caixa iniciou o pagamento da segunda parcela este domingo (16). Já nesta quarta-feira, ela depositou os valores do Auxílio Emergencial para cerca de 2,44 milhões de cidadãos nascidos em março e que não estão no grupo do Bolsa Família. E nesta quinta-feira, foi a vez dos nascidos em abril. Este grupo formado por 2,35 milhões de cidadãos receberam dia 20 o depósito do dinheiro em suas contas sociais.

O pagamento das quatro parcelas do Auxílio Emergencial 2021 possui valor médio de R$ 250, com exceção às mulheres chefes de família e que criam seus filhos sozinhas (família monoparental), que recebem R$ 375. Quanto aos indivíduos que moram sozinhos (família unipessoal), receberão R$ 150.

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais