Valor do Bolsa Família 2021: Haverá alteração após o auxílio emergencial?

Governo deverá propor um aumento no valor da mensalidade do programa Bolsa Família entre agosto e setembro. Com isso, a quantia pode chegar a R$ 250 reais.

0

O Presidente da República, Jair Bolsonaro anunciou, nesta quinta-feira (13/05), durante um evento em Alagoas, que o novo modelo do Bolsa Família está “quase pronto”, com adesão feita digitalmente através de um aplicativo.

“Está quase pronta a questão do novo Bolsa Família, proposta tua (João Roma) e, mais ainda, brevemente, a inclusão do Bolsa Família não será mais procurando prefeituras pelo Brasil, será feito através de um aplicativo. Vamos libertar as pessoas mais humildes de quem quer que seja”, afirmou.

Valor Bolsa Família 2021

Em 28 de abril deste ano, houve o anúncio de que o governo deverá propor um aumento no valor da mensalidade do programa entre os meses de agosto e setembro.

Com a mudança, a quantia repassada pode chegar a R$ 250. “Só de auxílio emergencial no ano passado gastamos mais que 10 anos de Bolsa Família. Então, o PT, que fala tanto em Bolsa Família, hoje, a média é de R$ 192. O auxílio emergencial, eu sei que está pouco, mas é muito mais do que a média do Bolsa Família. A gente pretende passar para R$ 250 em agosto ou setembro.” – informou o presidente na data.

Novo Bolsa Família

A equipe de Cidadania está desenvolvendo um projeto que deverá ser posto em prática após o fim do Auxílio emergencial. A previsão é de que seja finalizado até o mês de julho e lançado em agosto.

Enquanto este novo benefício não é definido e lançado, a previsão é que deva ultrapassar os atuais R$192 do Bolsa Família e também os atuais R$ 250 do Auxílio Emergencial.

A viabilidade do novo programa está sob responsabilidade do Ministério da Cidadania, que já cuida do Bolsa Família e do Auxílio Emergencial. Porém, para ser lançado, é necessário que o orçamento hoje destinado ao Bolsa Família seja remanejado para o novo projeto. Dessa forma, diminuem as chances de uma dívida para os cofres públicos.

Novo cadastro Bolsa Família

A previsão de várias mudanças no Bolsa Família têm como objetivo o corte dos custos com o programa social. A ideia do governo é de que o cadastro de beneficiários no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais) passe a ser realizada pelo próprio beneficiário, ou seja, de forma similar ao cadastro no Caixa Tem.

Atualmente o cadastro no Bolsa Família é realizado pelo CRAS (Centros de Referência de Assistência Social).

Além disso, o governo Federal também quer diminuir o papel dos municípios no cadastro de novos beneficiários, o que pode ajudar a reduzir os custos com o Bolsa Família. No momento do cadastro, os entrevistadores são funcionários públicos treinados e fazem várias perguntas aos possíveis beneficiários.

Com as respostas é traçado o perfil das famílias carentes e orientação de diversas políticas sociais. Já no caso do cadastro ser via aplicativo, muitos especialistas acreditam que este papel possa ser comprometido, pois muitos dos beneficiários do Bolsa Família possuem baixa escolaridade e por esse motivo podem preencher o cadastro incorretamente.

A exclusão digital, com falta de acesso à internet para usar o aplicativo, sem dúvida é outro fator a ser considerado para o uso da nova forma de cadastro do Bolsa Família.

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais