Este remédio é totalmente proibido em outros países, mas no Brasil é popular

A dipirona é um remédio amplamente utilizado no Brasil para aliviar dores e reduzir febres, mas sua disponibilidade contrasta com a proibição em países como os Estados Unidos, Japão, Austrália, Reino Unido e partes da União Europeia. A razão por trás dessa disparidade internacional envolve questões de segurança e eficácia, além de diferenças nas políticas regulatórias de medicamentos.

Entenda polêmica do remédio

Sugestões para você

Crédito FÁCIL de R$ 1 mil a R$ 4,5 mil no Caixa Tem é…

Nos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA) proibiu a dipirona devido a preocupações com o risco de efeitos colaterais graves, como agranulocitose, uma condição rara, mas potencialmente fatal, que afeta a produção de células sanguíneas. Embora os casos sejam raros, os reguladores americanos optaram por errar do lado da cautela, considerando que existem alternativas disponíveis para o alívio da dor e da febre.

No entanto, no Brasil, a dipirona é amplamente prescrita e considerada segura quando usada conforme as instruções. Os órgãos reguladores brasileiros, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), revisaram repetidamente os dados de segurança e eficácia do medicamento e concluíram que os benefícios terapêuticos superam os riscos associados ao seu uso. Além disso, é uma opção de baixo custo, tornando-a acessível para a população brasileira.

Essa divergência na regulamentação da dipirona destaca as diferentes abordagens adotadas pelos países em relação à avaliação de medicamentos. Enquanto alguns países optam por proibir um medicamento devido a preocupações com segurança, outros, como o Brasil, baseiam suas decisões em uma avaliação abrangente do perfil de risco-benefício.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.