Moeda raríssima de 1 real não é encontrada por quase ninguém, mas custa fortuna

A peça é bem cobiçada por colecionadores brasileiros devido a sua raridade

A moeda de R$ 1,00 de 1999 figura como um verdadeiro tesouro, sendo desejada por diversos colecionadores. Engana-se quem acredita que o item possui um valor baixo, pois ela pode valer uma boa grana devido à sua raridade.

Pensando nisso, nesta matéria, vamos explorar a história por trás da moeda, o motivo dela ser considerada extremamente rara e como identificar as características que a tornam cobiçada pelos numismatas. Confira.

Principais características da moeda de R$ 1,00 de 1999

Antes de analisar o pequeno objeto metálico, é de suma importância entender o que torna uma moeda rara e valiosa. Neste sentido, existem diversos fatores que influenciam a raridade e o valor de uma moeda. Entre eles:

  • 1. Ano de Emissão: certas moedas são consideradas raras por serem produzidas em um ano específico, geralmente devido a uma mudança no desenho, composição ou tiragem limitada;
  • 2. Erros de Cunhagem: moedas que possuem erros de cunhagem, como falhas na impressão, letras invertidas ou desalinhadas, podem ter um valor maior entre os colecionadores;
  • 3. Tiragem Limitada: moedas produzidas em quantidade limitada, seja por motivos econômicos, políticos ou especiais, tendem a ser mais valorizadas;
  • 4. Estado de Conservação: moedas em bom estado de conservação, sem desgastes excessivos, arranhões ou corrosão, são mais desejadas pelos colecionadores;
  • 5. Características Especiais: algumas moedas possuem características únicas, como desenhos diferentes, metal precioso na composição ou marcas específicas que as tornam valiosas.

Quanto vale a moeda de R$ 1,00 de 1999?

O valor do objeto, como destacado há pouco, varia de acordo com uma série de fatores, tais como sua raridade, estado de conservação, demanda e interesse dos colecionadores. No caso da moeda de R$ 1,00 de 1999, uma edição especial comemorativa em ótimo estado, pode chegar a valer R$ 210 no mercado especializado.

Estado de conservação

Possuir uma moeda em ótimo estado, sem arranhões ou manchas, aumenta ainda mais o seu valor de mercado. Para facilitar o entendimento, confira as categorias de conservação usadas pelos numismatas para definir um preço para os itens.

  • 1. Flor de Cunho (FC): moedas em perfeito estado de conservação, sem desgastes ou sinais de manuseio.
  • 2. Soberba (S): moedas com cerca de 90% dos detalhes da cunhagem original preservados, apresentando algum brilho e pequenas imperfeições.
  • 3. Muito Bem Conservada (MBC): moedas que mostram aproximadamente 70% dos detalhes da cunhagem original, com desgaste uniforme e algumas imperfeições.
  • 4. Bem Conservada (BC): Moedas que apresentam cerca de 50% dos detalhes da cunhagem original visíveis a olho nu.
  • 5. Regular (R): Moedas que têm no mínimo 25% dos detalhes da cunhagem original visíveis com o auxílio de uma lente.

Como limpar e conservar a moeda?

Limpar uma moeda pode parecer uma boa ideia para torná-la mais atraente para os colecionadores. Porém, a prática pode acabar diminuindo o valor do objeto, pois há a possibilidade de alterar sua coloração original. Logo, caso opte por dar um trato na peça, siga o seguinte procedimento:

  • 1. Segure a moeda pela borda e coloque-a sob água corrente morna;
  • 2. Esfregue suavemente um pouco de sabão neutro em cada face da moeda com as pontas dos dedos;
  • 3. Deixe a moeda de molho em uma tigela de vidro com água destilada morna por cerca de meia hora;
  • 4. Enxágue em água morna;
  • 5. Seque com uma toalha macia.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.