Novo calendário do Bolsa Família confirma antecipação; saiba quando

O adiantamento do benefício fez os amparados pelo programa social ficarem eufóricos

Devido ao feriado da Sexta-Feira da Paixão, celebrado no dia 29 de março, o cronograma do Bolsa Família foi antecipado pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), pasta responsável pelo programa de transferência de renda.

Como de praxe, os repasses acontecem a partir do dia 18 de cada mês. No entanto, em março deste ano, os benefícios serão distribuídos já no próximo dia 15, terminando no dia 29 do mesmo mês. Logo, os segurados com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) terminado em 1 receberão o dinheiro um pouco mais cedo do que o habitual.

Antecipação confirmada

Como você já deve estar ciente, todos os meses, o calendário de pagamentos do Bolsa Família é baseado no último número do NIS de cada segurado, promovendo uma melhor organização e evitando que as agências da Caixa Econômica Federal fiquem lotadas, visto que a iniciativa contempla mais de 21 milhões de brasileiros em situação de vulnerabilidade social e econômica. Dito isso, abaixo, veja o cronograma oficial de março de 2024:

  • Beneficiários com NIS final 1: depósito no dia 15 de março;
  • Beneficiários com NIS final 2: depósito no dia 18 de março;
  • Beneficiários com NIS final 3: depósito no dia 19 de março;
  • Beneficiários com NIS final 4: depósito no dia 20 de março;
  • Beneficiários com NIS final 5: depósito no dia 21 de março;
  • Beneficiários com NIS final 6: depósito no dia 22 de março;
  • Beneficiários com NIS final 7: depósito no dia 25 de março;
  • Beneficiários com NIS final 8: depósito no dia 26 de março;
  • Beneficiários com NIS final 9: depósito no dia 27 de março;
  • Beneficiários com NIS final 0: depósito no dia 28 de março.

Siga as normas e receba benefícios adicionais

Desde o ano passado, o Bolsa Família vem concedendo uma série de auxílios extras para seus segurados, a depender da sua composição familiar. A ideia é suprir com mais eficiência as necessidades básicas daqueles que se encontram na linha da pobreza, permitindo o acesso à alimentação, saúde e educação. Confira quais são eles e as normas de elegibilidade:

  • 1. Benefício Primeira Infância (BPI): concede R$ 150 para até duas crianças com até seis anos de idade;
  • 2. Benefício Variável Familiar (BVF): extra de R$ 50 para gestantes ou crianças e adolescentes na faixa etária entre sete e 18 anos incompletos;
  • 3. Benefício Variável Familiar Nutriz (BVN): adicional de R$ 50 para mães de bebês com até sete meses de vida (nutriz).

Para ser contemplado pelos montantes adicionais, é de suma importância que o titular do benefício e seus dependentes estejam de acordo com as regras do Bolsa Família. São elas:

  • 1. Manter o registro no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) atualizado;
  • 2. Idas periódicas à rede de saúde para realização do acompanhamento pré-natal (gestantes);
  • 3. Acompanhamento nutricional (peso e altura) de crianças menores de sete anos;
  • 4. Estar com a caderneta de vacinação preenchida, isto é, ter tomado todos os imunizantes considerados obrigatórios;
  • 5. Garantir a presença escolar mínima de crianças e adolescentes que ainda não concluíram o ensino básico.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.