RG final 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 0: comunicado importante

Todos que ainda possuem o documento devem ficar atentos

Uma grande mudança está em curso para todos os brasileiros no que diz respeito ao documento de identificação: o Governo Federal, encabeçado por Luiz Inácio Lula da Silva (PT), implementou a Carteira de Identidade Nacional (CIN), que substituirá o tradicional Registro Geral (RG).

A novidade, como é de se imaginar, impactará diretamente as pessoas que possuem RG com finais de número 1 a 0. Logo, é fundamental que estes cidadãos estejam atentos às novas regras para emissão do documento.

De acordo com as determinações do Governo Federal, a CIN adotará o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) como padrão de identificação. A medida permitirá que diversas entidades governamentais em todo o Brasil acessem as informações de um brasileiro por meio de uma combinação numérica única.

Uma das alterações mais impactantes é que o novo documento não incluirá a designação de sexo, tampouco fará diferenciação entre “nome” e “nome social”, refletindo os avanços em direção à inclusão e igualdade.

Como solicitar a CIN?

Para solicitar o documento em questão, o processo foi simplificado em três etapas acessíveis a todos os cidadãos em terras brasileiras. O primeiro passo é encontrar o portal responsável pela emissão da CIN, o qual pode ser localizado no site do governo de seu estado.

Após isso, é preciso reunir a documentação exigida para a solicitação, incluindo certidões de nascimento, casamento e óbito, Título de Eleitor, Cartão Nacional de Saúde, Carteira Nacional de Habilitação (CNH), entre outros documentos importantes.

Por fim, o último passo é realizar a solicitação online e o agendamento para retirada ou entrega do documento. Isso pode ser feito preenchendo o formulário de solicitação online no portal responsável pela emissão da carteira de identidade do seu estado.

Com esses dados, os brasileiros podem se preparar para emitir a CIN, alinhando-se às mudanças determinadas pelo Governo Federal. Caso ainda tenha ficado com alguma dúvida, a seguir, vamos responder às principais questões envolvendo o documento. Confira.

Dúvidas frequentes

A antiga carteira de identidade ainda é válida?

Sim, pois o Decreto nº 10.977/2022 estabelece um prazo de 10 anos para que o cidadão possa se adequar ao novo modelo.

A CIN terá validade?

Sim. O Decreto nº 10.977/2022 determina os prazos para a renovação da nova carteira de identidade do brasileiro nos seguintes moldes:

  • 0 a 12 anos incompletos: validade de 5 anos;
  • 12 a 60 anos incompletos: validade de 10 anos;
  • Acima de 60 anos: validade indeterminada.

Ao adotar a CIN, preciso manter outros documentos?

Sim. Com exceção das Certidões de Nascimento e de Casamento, enquanto não houver a completa integração dos dados será preciso a manutenção dos demais documentos.

Menores de idade podem solicitar a CIN?

Sim. Os cidadãos com idade inferior a 18 anos podem ter a CIN. Para isso, basta possuir número válido de CPF. Caso o único documento que o menor de idade possua seja a certidão de nascimento, basta procurar a Receita Federal, Caixa Econômica Federal ou um cartório para emissão do respectivo CPF. Lembrando que todo o procedimento deve ser feito pelo responsável legal.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.