Alerta! Overdose de vitamina D foi causa da morte de idoso

O caso aconteceu na Inglaterra; confira os detalhes

Pode até parecer loucura, mas o aposentado David Mitchener, de 89 anos, faleceu de hipercalcemia na Inglaterra após consumir uma quantidade excessiva de vitamina D por meses. O idoso morreu em maio do ano passado após ficar internado por 10 dias, segundo informações passadas no relatório de autópsia obtido pelo jornal Daily Mail.

O legista responsável alegou que os níveis de vitamina D ingeridos pelo aposentado inglês eram os mais altos comercializados. Os suplementos possuem um limite máximo de ingestão de 4 mil UI por dia. A seguir, confira todos os detalhes sobre o caso.

O que é hipercalcemia?

A vitamina D está diretamente ligada ao cálcio, tendo em vista que ela é a responsável por metabolizar o nutriente e levá-lo para os ossos, onde faz parte do processo de fortalecimento.

No entanto, assim como tudo na vida, o excesso da substância faz com que o cálcio passe a circular pelo sangue de maneira tóxica, sendo extremamente prejudicial à saúde. Quando identificada previamente, a quantidade excessiva de cálcio pode ser resolvida com maior ingestão de líquidos e medicamentos à base de fosfato.

Em casos de maior gravidade, surgem os sintomas tradicionais de intoxicação, como problemas digestivos, sede constante e vontade de urinar, confusão mental e desmaios. Caso não seja tratado de maneira adequada e com rapidez, o excesso de cálcio é irreversível, uma vez que mata os tecidos e artérias.

Há uma dosagem ideal para consumo da vitamina D?

A vitamina é produzida pelo organismo a partir da luz solar, mas também pode ser obtida por meio da alimentação e de suplementos. Por conta disso, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) recomenda o controle no uso desses medicamentos.

Para adultos, doses de manutenção variam entre 400 e 2 mil UI por semana, a depender da exposição solar e da coloração da pele. Para idosos, as doses recomendadas variam de mil a 2 mil UI/dia ou 7 mil a 14 mil UI/semana. Indivíduos obesos, pessoas que têm má absorção ou estão em uso de anticonvulsivantes podem necessitar de doses duas a três vezes maiores“, explica a SBEM.

Por fim, cabe destacar que a família de Mitchener não comentou o caso à imprensa, tampouco explicou quais eram os sintomas registrados pelo idoso durante o problema de saúde.

Para que serve a vitamina D?

Como mencionado há pouco, a vitamina D tem como função principal atuar no sistema osteomuscular, pois age diretamente nas concentrações de cálcio e fósforo no organismo. A falta dela pode reduzir as taxas de cálcio no organismo, prejudicando a ossificação e crescimento em crianças e impactando o pico de massa óssea em adultos, por exemplo.

Além das alterações ósseas, há comprometimento da força e contratilidade muscular, gerando fraqueza muscular e, em última instância, comprometimento muscular global, em adultos, participando da sarcopenia. A vitamina D e seus metabólitos têm sido envolvidos em muitos outros processos do organismo, entre eles:

  • 1. Metabolismo do colágeno;
  • 2. Regulação do magnésio;
  • 3. Liberação de insulina pelo pâncreas e da prolactina pela hipófise.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.