Apenas R$ 300: Bolsa Família REDUZ em 50% a Parcela Destas Famílias

Confira os critérios da regra que estabelece o pagamento de apenas 50% do valor do Bolsa Família.

O Bolsa Família pode surpreender com a quantia depositada para alguns beneficiários em março. O programa garante o pagamento da parcela mínima no valor de R$ 600. Contudo, há uma situação que permite o depósito de um valor menor.

O governo criou a Regra de Proteção do Programa Bolsa Família para beneficiários que tiveram um aumento na renda mensal, acima da quantia máxima permitida para a entrada no programa. Assim, o propósito dessa regra é não retirar essas famílias do programa logo após o aumento na renda.

Se a família que já está no benefício aumentar sua renda em até meio salário mínimo por pessoa, ela não vai perder o Bolsa Família. A família ainda será atendida pelo benefício graças à Regra de Proteção, podendo continuar no programa por até 24 meses, que serão contados a partir da atualização cadastral da nova renda.

Contudo, a família em Regra de Proteção vai receber apenas 50% do valor do benefício a que teria direito, se ganhava R$ 600 passa a receber R$ 300. Através dessa medida o Governo Federal pretende estimular o emprego, bem como o trabalho com carteira assinada e o empreendedorismo para que, quando for possível, a família pare de necessitar do Bolsa Família.

Qual a renda máxima para receber o Bolsa Família?

A inclusão de novos beneficiários no programa Bolsa Família é feita considerando duas regras. A principal define que para ter acesso aos pagamentos cada pessoa da família deve ter renda de, no máximo, R$ 218 por mês.

Além do limite de renda, também é preciso estar cadastrado e manter os dados da família corretos e atualizados. O responsável pela família deve fazer a inscrição de toda a família no Cadastro Único. Por isso, é necessário que ele leve seu CPF ou o título de eleitor a um CRAS, além de um documento de cada integrante da família.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.