Bolsa Família de Março: calendário atualizado com valores e datas

A partir do próximo dia 15, mais de 21 milhões de famílias vão ser contempladas com os pagamentos

Ao longo deste mês de março, o Bolsa Família seguirá prestando auxílio a diversas famílias brasileiras que vivem na linha da extrema pobreza. Sendo assim, a partir do próximo dia 15, os pagamentos do benefício serão efetuados pela Caixa Econômica Federal (CEF), visto que o banco estatal é responsável pelos depósitos.

Vale destacar que o montante concedido pelo programa de transferência de renda continuará sendo de R$ 600, conforme anunciado pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), pasta encarregada de administrar o Bolsa Família.

O calendário que compete ao mês de março de 2024, assim como os outros, foi organizado com base no último dígito do Número de Identificação Social (NIS) de cada segurado. Nas próximas linhas, confira as datas de pagamento e garanta o seu benefício.

Cronograma do Bolsa Família de março atualizado

  • Beneficiários com NIS terminado em 1: pagamento no dia 15 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 2: pagamento no dia 18 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 3: pagamento no dia 19 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 4: pagamento no dia 20 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 5: pagamento no dia 21 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 6: pagamento no dia 22 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 7: pagamento no dia 25 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 8: pagamento no dia 26 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 9: pagamento no dia 27 de março;
  • Beneficiários com NIS terminado em 0: pagamento no dia 28 de março.

Demais benefícios concedidos pelo Bolsa Família

Com a sua reativação em março do ano passado, seis novos auxílios foram integrados ao programa social, concedidos de acordo com a composição familiar de cada beneficiário. Abaixo, saiba quais são eles:

  • 1. Benefício de Renda de Cidadania (BRC): R$ 142 por integrante da unidade familiar;
  • 2. Benefício Complementar (BCO): valor suplementar para famílias cuja soma dos benefícios não atinja R$ 600;
  • 3. Benefício Primeira Infância (BPI): incremento de R$ 150 por infante de zero a sete anos;
  • 4. Benefício Variável Familiar (BVF): acréscimo de R$ 50 para gestantes e jovens de 7 a 18 anos;
  • 5. Benefício Variável Familiar Nutriz (BVN): suplemento de R$ 50 para cada membro com até sete meses de idade (nutriz);
  • 6. Benefício Extraordinário de Transição (BET): aplicado em circunstâncias específicas até maio de 2025, com o propósito de garantir que nenhum beneficiário receba quantia inferior à concedida no programa anterior (Auxílio Brasil).

Regras que devem ser seguidas à risca

Como é de se imaginar, os cidadãos agraciados pelo Bolsa Família precisam se enquadrar em algumas normas para garantir a continuidade do benefício. Sendo assim, o primeiro passo é estar devidamente inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), isto é, estar com seus dados atualizados.

Além disso, devem atender certas condições nas áreas de saúde e educação, incluindo a exigência de frequência escolar para crianças e adolescentes entre quatro e 17 anos, acompanhamento pré-natal para gestantes, monitoramento nutricional (peso e altura) das crianças de até sete anos, e seguimento do calendário nacional de vacinação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.