Fonte da Juventude? Alimentos que podem te fazer viver mais

Ao adicioná-los em seu dia a dia, a expectativa de vida pode ser estendida

Como bem sabemos, a nossa expectativa de vida é determinada por inúmeros fatores, como o local onde vivemos e a alimentação, por exemplo. Todavia, alguns deles estão muito além do nosso controle, como a genética, lesões e doenças, enquanto outros se tornam decisivos a partir do estilo de vida.

Portanto, em alguns casos, as nossas escolhas são determinantes, tendo um impacto enorme. Entre elas, temos a frequência com que nos exercitamos, se fumamos, e até mesmo a quantidade álcool que ingerimos. Todos esses fatores influenciam na expectativa de vida.

A dieta também é responsável por desempenhar um papel crucial na saúde e no bem-estar, sendo que alguns alimentos são conhecidos por reduzir o risco de doenças, enquanto outros, por sua vez, aumentam essa predisposição.

Quais alimentos podem aumentar a nossa longevidade?

Recentemente, um estudo identificou diversos alimentos e bebidas que podem colaborar com a longevidade, bem como reduzir os riscos de mortes por doença de Alzheimer, cancro e doenças cardiovasculares. A pesquisa, publicada na revista Scientific Reports, apontou associações entre a maior ingestão de flavonol e um menor risco para essas condições e mortalidade por todas as causas.

Os flavonóis se tratam de um tipo de flavonóides, compostos polifenólicos biologicamente ativos, encontrados normalmente em diversos alimentos vegetais. Eles são conhecidos por oferecerem diversos benefícios à saúde, incluindo aumento do fluxo sanguíneo e redução da inflamação, do estresse oxidativo e da pressão arterial.

Ainda, o estudo revelou que os flavonóides exibem efeitos antitumorais. Mas esta foi a primeira vez que a relação entre a ingestão de flavonol e o risco de mortalidade foi estudada com mais afinco. Inclusive, os responsáveis pela pesquisa informaram como chegaram a esta conclusão.

Como o estudo foi feito?

Para chegar a essa observação, os pesquisadores utilizaram um banco de dados da Pesquisa de Saúde e Nutrição (NHANES), com informações sobre 11.679 indivíduos acima de 20 anos. Neste sentido, eles exploraram a relação entre a ingestão de flavonóides e o risco de mortalidade por todas as causas e o risco de mortalidade por causa específica — como Alzheimer, doença cardiovascular, câncer e diabetes.

Os participantes que ingeriram uma maior quantidade de flavonóides tendiam a ser jovens e tinham histórico de diabetes, hipertensão, hiperlipidemia, insuficiência cardíaca congestiva, doença coronariana, angina, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. O aumento da ingestão total de flavonóides mostrou uma tendência decrescente na mortalidade por todas essas causas, bem como na doença de Alzheimer, no câncer e na mortalidade específica por doenças cardiovasculares.

Onde posso encontrar esses flavonóides?

Devido a novidade para lá de promissora, muitos devem estar se perguntando onde encontrar os flavonóis. Os principais deles, como a quercetina e kaempferol, são encontrados especialmente na cebola, frutas vermelhas e chás, como chá verde e preto.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.