Faustão passa por mais um transplante após grave doença

Meio ano após um transplante de coração, o apresentador Faustão realizou um novo transplante, novamente pelo Sistema Único de Saúde

Na segunda-feira passada (26), o renomado apresentador Fausto Silva, popularmente conhecido como Faustão, foi submetido a um transplante renal no Hospital Albert Einstein, situado na região sul de São Paulo. De acordo com informações fornecidas pelo próprio hospital, a intervenção cirúrgica ocorreu sem contratempos. Vale ressaltar que em agosto de 2023, Faustão havia passado por um transplante cardíaco.

Segundo informações divulgadas pela equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein em comunicado enviado hoje, o apresentador deu entrada na instituição no dia 25 de fevereiro para dar início ao processo preparatório e subsequente realização do transplante renal. Isso se deu em decorrência da progressão de uma doença renal crônica.

Segundo transplante

Após a verificação da compatibilidade do órgão doador pela Central de Transplantes do Estado de São Paulo, a cirurgia foi realizada com sucesso no dia subsequente (26). Faustão continuará sendo observado para avaliar a adaptação do órgão e para acompanhamento clínico.

Enquanto passava pelo transplante cardíaco em agosto de 2023, Faustão estava sob hemodiálise devido à condição comprometida de seus rins. De acordo com familiares, após a cirurgia de coração, ele aguardou na fila por um transplante renal por cerca de dois meses.

Saúde prévia de Faustão

No transplante cardíaco, que ocorreu em 27 de agosto de 2023, Faustão estava classificado como o segundo na lista de espera por um coração, conforme dados da Central de Transplantes do Estado. Após a conclusão da cirurgia e sua subsequente alta hospitalar, ele deu início a uma segunda etapa de tratamento, que incluía um período adicional de dois a três meses de fisioterapia para alcançar uma recuperação total.

Fábio Cordeiro da Silva, um jogador de futebol amador, foi o doador do coração de Faustão. Ele faleceu devido a um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e decidiu doar seus órgãos, incluindo o coração, em um ato generoso que ofereceu uma nova oportunidade de vida ao apresentador.

Transplante de órgãos pelo SUS

Conforme comunicado pelo Ministério da Saúde, o Brasil lidera o maior programa público de transplante de órgãos, tecidos e células globalmente. A gestão da lista exclusiva é de responsabilidade da Secretaria Nacional de Transplantes, uma entidade ligada ao Ministério da Saúde.

Os pacientes são classificados com base em diversos critérios médicos, incluindo o tipo de órgão necessário, a gravidade da condição, o grupo sanguíneo e outras especificações técnicas pertinentes às suas necessidades de saúde.

Lista de espera

Informações recentes revelam que, pela primeira vez desde 1998, o número de pessoas aguardando por um transplante de órgãos no Brasil ultrapassou a marca de 50 mil, de acordo com dados levantados pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos. A maioria desses pacientes, cerca de 30 mil, está na fila de espera por um rim.

Diante dessa situação, a Associação Brasileira de Transplantes ressalta a necessidade de incrementar as autorizações para doações de órgãos, especialmente considerando que a taxa de recusa atingiu um patamar recorde de 47% em 2022. Isso representa um aumento em relação aos anos anteriores, quando esse índice estava em torno de 40%.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.