Comunicado Oficial: Nasa revela como avisaria sobre meteoro apocalíptico

A NASA está criando uma rede de alertas para caso asteroides se mostrem em rota de colisão com a Terra. Essa rede já conta com protocolos e comunicados oficiais

Caso um asteroide comparável ao que levou à extinção dos dinossauros atingisse a Terra, o resultado seria uma onda de choque extremamente mais poderosa do que uma explosão nuclear, resultando em devastação em larga escala e desencadeando eventos catastróficos, como tsunamis e terremotos. Segundo informações da NASA, seria possível evitar o desastre iminente.

O Escritório de Coordenação de Defesa Planetária da agência espacial é encarregado de encontrar, monitorar e avaliar os perigos relacionados aos asteroides potencialmente ameaçadores. Lindley Johnson, líder executivo do Programa do Escritório de Coordenação de Defesa Planetária, expressou a meta da agência de identificar esses corpos celestes antes que possam representar uma ameaça, conforme relatado pelo Business Insider.

Comunicado da NASA

Com o propósito de alcançar esse objetivo, a NASA colabora com uma rede global de astrônomos conhecida como Rede Internacional de Alerta de Asteroides (IAWN, na sigla em inglês). Se um asteroide estivesse em rota de colisão com a Terra, a NASA tomaria medidas para lidar com a situação.

  • Detecção e Verificação: Inicialmente, os observadores compartilhariam suas descobertas para validar a ameaça e avaliar sua gravidade. Uma vez confirmada a necessidade de preparação para um possível impacto, a NASA emitiria um alerta.
  • Comunicação Oficial: Se o asteroide representasse uma ameaça aos Estados Unidos, a NASA informaria a Casa Branca, que emitiria um comunicado oficial. Em caso de perigo internacional, a IAWN também comunicaria o Escritório das Nações Unidas para Assuntos do Espaço Exterior.

Riscos

Astrônomos classificam um asteroide como “potencialmente perigoso” caso possua um diâmetro superior a 140 metros e cruze a órbita terrestre a uma distância mínima de 0,5 unidades astronômicas. A comunidade científica identificou aproximadamente 2.300 asteroides até o momento, e dentre esses, pelo menos 153 têm mais de 1 km de diâmetro. Este último é um tamanho considerado capaz de desencadear uma catástrofe em nosso planeta.

Apesar de haver uma possibilidade remota de o asteroide Bennu colidir com a Terra em 159 anos, resultando em uma explosão comparável a 24 bombas nucleares, as chances de isso ocorrer são de apenas uma em 2.700, conforme indicado por uma pesquisa.

Chances

A NASA possui diretrizes estabelecidas para proteger o planeta, embora seja necessário um período de aviso prévio de cinco a 10 anos para evitar uma catástrofe. Se a ameaça surgisse com menos de cinco anos de antecedência, não haveria tempo adequado para desviar o asteroide. Nesse caso, uma opção seria tentar destruí-lo para reduzir os danos causados pelo impacto.

Johnson afirmou que, com informações adequadas, a NASA será capaz de prever as órbitas dos asteroides com até cem anos de antecedência. Assim, a abordagem da IAWN é identificá-los séculos antes do possível impacto, proporcionando um amplo período para tomar medidas preventivas. Ele enfatizou que essa estratégia oferece uma janela de tempo significativa para tomar medidas apropriadas em relação aos asteroides detectados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.