Anvisa faz proibição chocante sobre este modelo de pão no Brasil

Saiba tudo sobre a decisão do órgão sanitário que gerou uma grande polêmica entre os consumidores

Apesar de ser amplamente consumido no Brasil, poucas pessoas param para pensar no motivo pelo qual o pão integral é considerado mais saudável que os demais, tampouco se o item escolhido na prateleira do supermercado é, de fato, 100% integral.

Aliás, recentemente, uma nova regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) trouxe à tona uma discussão que promete mudar radicalmente a forma como os consumidores enxergam os rótulos dos produtos integrais. Inclusive, alguns acreditam que a venda do pão integral possa ser proibida. Os detalhes você confere abaixo.

Anvisa implementa novas regras para produtos integrais

No ano passado, entrou em vigor uma nova regulamentação proposta pela Anvisa que redefine o que pode ser considerado um produto integral. Sendo assim, agora, para um alimento ostentar a nomenclatura “integral” em seu rótulo será preciso conter, pelo menos, 30% de ingredientes integrais em sua composição. A porcentagem deve ser claramente destacada na embalagem, garantindo mais transparência para o consumidor.

Com saúde não se brinca

Os alimentos integrais são conhecidos por sua lenta absorção no organismo, além de serem ricos em fibras. Essas características são extremamente benéficas à saúde, ajudando no controle da glicemia e promovendo uma sensação prolongada de saciedade.

Com o novo conjunto de regras da autarquia sanitária, a expectativa é que os consumidores tenham uma ideia mais clara do que estão consumindo, podendo fazer escolhas mais seguras e saudáveis.

Prazo para adequação do pão integral

De acordo com a Anvisa, as fabricantes deste tipo de alimento têm até o dia 22 de abril deste ano para se adaptarem às novas regras. Portanto, produtos fabricados antes dessa data ainda podem ser vendidos até o final de seus prazos de validade.

Para massas produzidas a partir de farinha, como espaguete ou penne, o prazo se estende por mais um pouco, o que significa que ainda podemos encontrar produtos com as antigas rotulagens nas prateleiras dos supermercados.

Regulamentação do pão integral

Segundo a nova regra, são considerados integrais os alimentos que contêm cereais (como trigo e milho) ou pseudocereais (como quinoa e trigo sarraceno) que não passaram pelo processo de refinamento. Em outras palavras, isso significa que esses ingredientes mantêm suas cascas e, consequentemente, a maior parte de suas fibras, vitaminas e minerais.

Rótulos serão modificados

Além da exigência dos 30% de ingredientes integrais, os produtos que utilizam a denominação “integral” em seus rótulos devem exibir, de forma visível, a porcentagem total de ingredientes integrais presentes na composição. Para produtos líquidos, a expressão “com cereais integrais” deve ser adotada.

A não conformidade com as normas da Anvisa pode acarretar em penalidades para os fabricantes, incluindo advertências, multas, interdição de produtos e até mesmo o cancelamento de alvarás.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.