Risco de câncer aumenta 11 vezes mais após os 50 anos

Após o Rei Charles III ser diagnosticado com câncer, a SBGG divulgou que 70% das mortes para essa doença são de pessoas com mais de 60 anos

Na segunda-feira passada (05), foi anunciado que o Rei Charles III foi diagnosticado com câncer, embora o tipo exato ainda não tenha sido revelado. Com 75 anos, a idade avançada do monarca aumenta a probabilidade de desenvolvimento da doença.

Segundo ressaltado pela Comissão de Oncogeriatria da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), ultrapassar os 50 anos pode aumentar consideravelmente, em até 11 vezes, as chances de desenvolver câncer.

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) também destaca que mais da metade (56%) dos diagnósticos de câncer ocorrem em idosos, e aproximadamente 70% das mortes causadas pela doença afetam indivíduos com mais de 60 anos. O Instituto Nacional de Câncer (Inca), em suas projeções para o Brasil em 2023, ressalta que “o impacto da incidência e mortalidade por câncer está aumentando em todo o mundo”.

Fatores

Diversos elementos concorrem para o aumento da vulnerabilidade ao câncer em pessoas idosas, abarcando desde o envelhecimento demográfico até alterações no funcionamento do sistema imunológico. O Dr. Carlos Gil Fereira, oncologista e presidente do Instituto Oncoclínicas, esclarece que o conceito de “câncer” abrange uma diversidade de tumores malignos originados da proliferação anormal e desregulada das células.

Nesta etapa da vida, as capacidades de correção que o corpo empregaria para conter a multiplicação celular irregular são prejudicadas, uma vez que o sistema imunológico dos idosos opera em um ritmo naturalmente mais reduzido. Isso implica que as funções defensivas do organismo não são executadas com a mesma eficácia anterior, o que amplia a susceptibilidade às doenças.

Tipos de câncer comuns em idosos

Quando analisamos os tipos de câncer mais prevalentes entre os idosos, alguns se sobressaem, como.

Câncer de pulmão

  • É o tipo de tumor mais comum globalmente, conforme o último Observatório Global do Câncer da Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Iarc), órgão vinculado à Organização Mundial da Saúde (OMS).
  • Registra 2,5 milhões de diagnósticos, o que corresponde a 12,4% do total.
  • Entre as faixas etárias de 60 a 85 anos.

Câncer de mama: A idade figura como um dos principais fatores de risco para esse câncer, sendo que cerca de quatro em cada cinco casos são diagnosticados após os 50 anos, conforme dados do Instituto Nacional de Câncer.

Câncer de próstata

  • Considerado um câncer típico da terceira idade, 75% dos casos no mundo surgem a partir dos 65 anos, de acordo com informações do Instituto Nacional de Câncer.
  • É o tipo de tumor que mais afeta os homens no Brasil, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma.
  • Em 2021, o câncer de próstata contribuiu para 16.301 óbitos, conforme levantamento do Atlas de Mortalidade por Câncer.

Câncer colorretal (intestino): Listado pela OMS como um dos cânceres mais prevalentes globalmente. É comum em pessoas idosas, sendo o segundo mais incidente entre os 60 e 85 anos, ficando atrás apenas do câncer de pulmão, segundo a Iarc.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.