Kwai teria obrigado funcionários a se demitirem para perder direitos trabalhistas

A Revista Piauí realizou uma investigação envolvendo ex-funcionários da rede social chinesa Kwai, evidenciando uma transição para a Joyo Brazil repleta de controvérsias.

Reunião polêmica

Sugestões para você

Evite as baratas na sua casa banindo estes odores comuns

Em uma reunião realizada em fevereiro de 2023, os colaboradores foram instruídos a renunciar aos seus empregos na Adecco Recursos Humanos SA, uma empresa terceirizada na Suíça, para serem posteriormente recontratados pela Joyo Brazil. Essa prática, porém, implicaria na abdicação de direitos trabalhistas em caso de dispensa pela nova empresa.

Além do controverso episódio da transição, o Kwai está no centro de diversas polêmicas. Acusações de disseminação de fake news e conteúdo pirata pairam sobre o aplicativo, que também é acusado de promover candidatos à presidência, indo de encontro às normas estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Recentes denúncias destacam ainda a presença de conteúdo que sexualiza menores no aplicativo, levando o Kwai a ser alvo de uma investigação pelo Ministério Público Estadual de São Paulo.

Após o registro dos funcionários pela Joyo Tecnologia em abril de 2023, um grupo de empregados com salários mais elevados foi dispensado meses depois, causando sentimentos de decepção entre os demitidos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.