Cartão do Santander Foi Clonado? Aprenda a resolver a situação

Ter o cartão clonado pode assustar muitas pessoas, porém existem medidas a serem tomadas para os prejuízos serem reduzidos, principalmente junto ao banco

Enfrentar a possibilidade de ter seu cartão de crédito clonado é uma preocupação crescente, e os prejuízos decorrentes dessa atividade fraudulenta podem ser substanciais para os clientes. É crucial tomar medidas preventivas para evitar ser vítima desse tipo de crime.

Conforme o estudo Radar Febraban-Ipespe, conduzido com uma amostra de 3 mil indivíduos em 2022, o golpe de cartão de crédito clonado emergiu como o mais prevalente no país, afetando 64% dos participantes da pesquisa. Esse índice representa um aumento de 16 pontos percentuais em comparação ao ano anterior (48%).

Clonagem de cartão

Vale destacar que o termo “clonagem” de cartão pode ser considerado ultrapassado nos dias atuais. Em muitas situações de fraude relacionadas a cartões comprometidos, o que acontece é a exposição de dados pessoais, como o número do cartão e o código CVV.

Apesar dos avanços na tecnologia dos chips de cartão para evitar a clonagem, ainda é possível que informações sensíveis sejam obtidas e exploradas de várias formas por indivíduos mal-intencionados. Isso possibilita a realização de transações fraudulentas, especialmente em ambientes online.

Como resolver a situação?

Quando há indícios de clonagem do cartão de crédito, é fundamental agir prontamente para reduzir os danos financeiros e resguardar as informações pessoais. O primeiro passo a ser dado é entrar em contato imediato com o banco ou instituição financeira responsável pelo cartão.

Ao relatar o incidente, é essencial fornecer todos os detalhes importantes e requisitar o bloqueio imediato do cartão, juntamente com a contestação de quaisquer transações não autorizadas. É aconselhável também registrar os números de protocolo e outros dados relevantes para futura referência e acompanhamento do caso.

As instituições bancárias e financeiras conduzem uma investigação detalhada do histórico de transações do titular do cartão para verificar a autenticidade da fraude. Durante essa análise, elementos como horário, localização, natureza da transação e padrões de compra são examinados cuidadosamente.

Bancos e BOs

Nos últimos tempos, houve uma crescente de decisões judiciais em prol das vítimas de fraudes com cartões de crédito, o que tem contribuído positivamente para resolver esses incidentes. Os bancos têm demonstrado uma abordagem mais flexível ao lidar com contestações e reembolsos, contudo, é essencial apresentar evidências substanciais da fraude, como o registro de um Boletim de Ocorrência.

Renata Abalém, representante do IDC, enfatiza a relevância desse registro, já que, frequentemente, as transações fraudulentas não correspondem aos padrões de compra usuais do cliente, o que pode fornecer pistas valiosas para a investigação e conclusão do incidente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.