Saiu atualização urgente do aplicativo Bolsa Família e Caixa Tem

Ao que tudo indica, diversos beneficiários do programa estão enfrentando problemas; entenda

Recentemente, diversos beneficiários do Bolsa Família relataram uma nova atualização para lá de preocupante no aplicativo do programa e do Caixa Tem. Segundo os relatos, aqueles que estavam com o benefício suspenso foram notificados que o auxílio mensal foi cancelado, mesmo tendo atualizado as informações passadas para o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Vale mencionar que o banco de dados serve para monitorar as famílias brasileiras que se encontram em situação de extrema pobreza e adicioná-las em iniciativas de cunho assistencial, como o próprio Bolsa Família. Portanto, qualquer tipo de problema envolvendo os dados do CadÚnico afeta os pagamentos dos benefícios.

Como garantir a continuidade dos repasses?

Como você já deve ter percebido, é de suma importância que o titular do benefício e seus dependentes estejam com seus dados cadastrais 100% atualizados. Logo, caso haja alguma mudança na renda ou na composição familiar, o chefe da família deve informar as autoridades competentes. Para isso, basta se dirigir até uma das unidades do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS).

Além disso, todos os segurados do programa social devem cumprir as condicionalidades ligadas à saúde e à educação. Abaixo, saiba quais são elas e evite ter o seu auxílio cancelado pelo Governo Federal:

  • 1. Acompanhamento nutricional (tamanho e peso) de crianças com até sete anos;
  • 2. Acompanhamento do pré-natal, caso a titular do benefício seja gestante;
  • 3. Acompanhar o calendário nacional de vacinação, isto é, ter tomado todos os imunizantes disponibilizados pela rede de saúde brasileira;
  • 4. Garantir a frequência escolar mínima daqueles que ainda não concluíram o ensino fundamental.

Diferença entre suspensão, bloqueio e veto

O Bolsa Família pode passar por diferentes estágios no que diz respeito aos benefícios concedidos, como suspensão, bloqueio e veto. Cabe destacar que cada uma das etapas possuem significados distintos. Após a suspensão, por exemplo, os segurados terão um prazo de 30 dias para apresentar os documentos necessários e regularizar sua situação junto ao CRAS.

Feito isso, o Governo Federal terá até 60 dias para avaliar os documentos e decidir sobre a retomada dos pagamentos, incluindo os retroativos para os meses em que o beneficiário esteve suspenso. Sendo assim, é fundamental que os cidadãos irregulares resolvam a situação o quanto antes.

Calendário atualizado

Por outro lado, aqueles que estão dentro das normas aguardam ansiosamente pelos repasses que competem ao mês de fevereiro. A segunda rodada de pagamentos de 2024 terá início no próximo dia 16 e segue até o dia 29. Antes de consultar o cronograma, cabe lembrar que a ordem dos depósitos varia de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) de cada beneficiário.

  • NIS terminado em 1: 16 de fevereiro;
  • NIS terminado em 2: 19 de fevereiro;
  • NIS terminado em 3: 20 de fevereiro;
  • NIS terminado em 4: 21 de fevereiro;
  • NIS terminado em 5: 22 de fevereiro;
  • NIS terminado em 6: 23 de fevereiro;
  • NIS terminado em 7: 26 de fevereiro;
  • NIS terminado em 8: 27 de fevereiro;
  • NIS terminado em 9: 28 de fevereiro;
  • NIS terminado em 0: 29 de fevereiro.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.