Titulares do BPC podem ganhar PIX de R$ 2.212 com extras

O BPC não é uma aposentadoria então possui um valor limitado, porém é possível ter adicionais caso a família se enquadre em outro programa governamental

Os recebedores do Benefício de Prestação Continuada (BPC) não são pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e, como resultado, obtêm um benefício com limitações salariais e de vantagens. Apesar disso, possuem a opção de requerer uma renda extra para aprimorar o seu poder de compra mensal.

Os indivíduos idosos ou portadores de deficiência que recebem o BPC têm a prerrogativa de retirar até 1 salário mínimo mensalmente. Em janeiro, esse montante foi revisado para R$ 1.412, indicando um aumento de 6,97% em comparação ao ano anterior, conforme a atualização promovida pelo INSS.

BPC mais extras

Classificadas como de baixa renda, aquelas que recebem o BPC têm rendimentos equivalentes a até 1/4 do salário mínimo por pessoa. Além desse benefício, podem ser contempladas com uma assistência adicional do governo, denominada Bolsa Família, destinada a apoiar famílias em condição de vulnerabilidade social.

O montante recebido pelo BPC não entra no cômputo da renda familiar. Portanto, aquelas que atendem a essas condições podem assegurar uma posição no Bolsa Família ao se cadastrarem no Cadastro Único e apresentarem uma renda familiar de até R$ 218 por pessoa.

Se essas famílias forem aceitas no Bolsa Família, elas acrescentam esse auxílio ao recebimento do BPC. Prioridade é dada às famílias com crianças, adolescentes e gestantes na fila de espera. Para combinar esses dois pagamentos, é crucial manter os dados atualizados no Cadastro Único.

Combinados, esses dois programas apresentam a capacidade de proporcionar mensalmente ao grupo beneficiado um total de benefícios, incluindo R$ 1.412 provenientes do Benefício de Prestação Continuada, um valor fixo de R$ 600 pelo Bolsa Família, um benefício complementar de R$ 150 por criança de 0 a 6 anos, e outro de R$ 50 destinado a bebês de até 6 meses, crianças de 7 a 18 anos e gestantes.

Casa própria

Adicionalmente, os contemplados pelo BPC e Bolsa Família estão dispensados do pagamento de prestações em habitações adquiridas pelo Minha Casa, Minha Vida, de acordo com uma portaria do Ministério das Cidades. Houve alterações nas normas relacionadas à aquisição da casa própria, incluindo a diminuição do número de parcelas de 120 para 60 meses nas unidades contratadas pelo Programa Nacional de Habitação Urbana (PNHU).

Além disso, ocorreu uma diminuição na contribuição dos beneficiários nos acordos do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), passando de 4% para 1%. A portaria definiu limites máximos para as prestações dos imóveis adquiridos pelo Minha Casa, Minha Vida, considerando a faixa de renda das famílias.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.