Entenda morte de jovem durante encontro com jogador do Corinthians

Atleta Dimas Cândido de Oliveira Filho disse à polícia que a jovem de 18 anos desmaiou durante relação sexual e que ele chamou o Samu em seguida

A morte de uma jovem de 19 anos após um encontro com Dimas Cândido de Oliveira Filho, de 18 anos, e jogador do sub-20 do Corinthians, vem sendo investigada pela Polícia Civil de São Paulo.

O fatídico episódio aconteceu na última terça-feira (30), no Tatuapé, Zona Leste da capital paulista. Livia Gabriele da Silva, a jovem que estava com o atleta, foi levada ao pronto-socorro do Tatuapé pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), acionado por Dimas.

A jovem sofreu quatro paradas cardiorrespiratórias, uma delas a caminho do hospital, e deu entrada na unidade de saúde com sangramento intenso nas partes íntimas. O atestado de óbito aponta que a causa da morte foi uma ruptura na região genital, no entanto, exames complementares ainda devem ser realizados pelas autoridades.

O que se sabe sobre o caso?

De acordo com o jogador, ele conheceu Livia meses atrás pelo Instagram e passaram a trocar mensagens. Posteriormente, ambos marcaram um encontro para a noite de terça-feira. Dimas informou à polícia que aquela foi a primeira vez que ele e a jovem tinham se visto pessoalmente.

Ainda segundo o atleta, estavam apenas os dois no apartamento dele. Isso, de acordo com Dimas, poderia ser confirmado pelas câmeras presentes no prédio, tanto no corredor de sua residência como na garagem.

Após a notícia da morte de Lívia, Dimas foi comunicado pelos policiais militares que precisava se dirigir até a delegacia para registro a ocorrência. Como o atleta estava sem camisa e sem documento, os policiais o levaram até seu apartamento. Ao chegar no local, os oficiais verificaram que havia sangue no chão do imóvel, além de toalhas e lençóis sujos de sangue.

Os policiais militares também constataram que uma cama havia sido removida para a lateral. Dimas argumentou que a remoção do móvel foi feita pela equipe do Samu para realizarem os procedimentos de socorro.

Como registrado no boletim policial, o jogador ressaltou que nunca tinha se encontrado com Livia, mas como iria entrar em férias e viajar para João Pessoa (PB), onde, segundo ele, a família dele vive, os dois marcaram encontro para a noite de terça-feira (30).

Dimas afirmou que a jovem disse no dia anterior que iria pedir autorização para a mãe dela e lhe daria um retorno pela manhã. Ela confirmou o encontro, e os mantiveram contato por meio do WhatsApp.

O jogador relatou que a jovem foi sozinha ao apartamento dele, onde ele também se encontrava sozinho, e que a recebeu no portão. Dimas também afirmou que os dois não fizeram uso de nenhum tipo de entorpecente, tampouco ingeriram bebida alcoólica, e que ela levou dois cigarros eletrônicos que, segundo ele, usavam um óleo.

No depoimento, Dimas disse também que os dois tiveram relação sexual e conversaram em seguida. Quando foram para a segunda relação, ele teria percebido que Livia não respondia. Na sequência, ele teria observado que ela tinha desmaiado e ligou imediatamente para o Samu.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.