Emergência: vazamento de ácido sulfônico após tombo de caminhão

Após um caminhão de ácido sulfônico tombar em Santa Catarina, foi declarado estado de emergência. Esse ácido é usado para fazer produtos de limpeza

Após o incidente que ocorreu na segunda-feira passada (29) em Joinville, Santa Catarina, o governo federal decidiu declarar estado de emergência na cidade. Isso se deu em decorrência do tombamento de um caminhão carregado com ácido sulfônico na rodovia SC-418.

O ácido proveniente do acidente afetou um rio vital para o fornecimento de água à comunidade local. O prefeito Adriano Silva assinou imediatamente um decreto oficializando o estado de emergência, e tal medida foi prontamente reconhecida pelo secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff Barreiros.

Situação de emergência

A designação do estado de emergência concede à cidade e aos municípios adjacentes a facilidade de acesso a recursos federais, a autorização para realizar compras emergenciais sem a exigência de licitação e a flexibilidade para superar metas fiscais previamente determinadas, permitindo o financiamento de ações imediatas para enfrentar a crise decorrente do incidente.

Na sequência do incidente, a administração municipal de Joinville adotou uma medida cautelar ao temporariamente suspender a captação de água na Estação de Tratamento do Rio Cubatão, com o objetivo de prevenir a contaminação pela substância tóxica.

Em comunicado na terça-feira (30), a prefeitura informou que o fornecimento de água estava sendo gradualmente retomado na cidade. O comunicado foi emitido após a conclusão das análises na água tratada, a qual foi avaliada como própria para o consumo humano e em conformidade com os padrões recomendados.

Apesar disso, a prefeitura alertou que, inicialmente, a água nas tubulações poderia manifestar variações de cor ou odor. Importante ressaltar que tais alterações não tornariam a água inadequada para uso, e essas mudanças não estariam associadas ao produto químico derramado no Rio Cubatão.

Ácido sulfônico

O professor de Engenharia Química na Universidade Presbiteriana Mackenzie, Rogério Aparecido Machado, esclarece que o ácido sulfônico representa um risco significativo para a saúde humana devido à sua toxidez aguda e à sua propriedade corrosiva, podendo inclusive corroer metais.

O docente destaca que a soda cáustica é uma das substâncias com a capacidade de neutralizar o ácido sulfônico, porém, alerta para sua toxicidade, que poderia acarretar danos ao meio ambiente e à saúde humana. Além das complicações no fornecimento de água, a presença do ácido pode resultar na mortalidade de peixes e outros organismos que entram em contato com a substância.

O ácido sulfônico é frequentemente empregado como matéria-prima na produção de detergentes e desempenha um papel significativo na fabricação de cremes dentais. Além disso, integra a composição de produtos domissanitários, incluindo, mas não se limitando a, água sanitária, desinfetantes e limpa-vidros.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.