Chip no cérebro é implantado pelo Neuralink, de Elon Musk

A novidade foi revelada pelo próprio empresário, em sua conta no X (antigo Twitter)

Na noite de segunda-feira (29), o empresário sul-africano Elon Musk anunciou que a Neuralink, uma de suas companhias, realizou o primeiro transplante de um chip cerebral em um ser humano. O bilionário, em sua conta no X (antigo Twitter), afirmou que o paciente está se recuperando bem e que os resultados iniciais são promissores.

Em outra postagem, o magnata comentou que o primeiro produto da Neuralink se chama “Telephaty”. O dispositivo eletrônico, segundo o próprio Musk, “permite o controle do seu telefone ou computador, e através dele quase qualquer dispositivo, apenas pensando”.

Os usuários iniciais serão aqueles que perderam o uso dos membros. Imagine se Stephen Hawking pudesse se comunicar mais rápido do que um digitador rápido ou um leiloeiro. Esse é o objetivo“, escreveu Musk.

Como informado pela Neuralink, o chip foi instalado cirurgicamente por um robô que introduziu 64 fios da espessura de um cabelo em uma região do cérebro que controla a “intenção de movimento”.

Atividades da Neuralink geram polêmicas

A companhia chefiada por Musk recebeu a aprovação da Food and Drugs Administration (FDA) nos Estados Unidos em maio de 2023 para realizar testes dos chips cerebrais em humanos. Em 2021, a Neuralink havia começado os experimentos em macacos.

As experiências nos animais, por sua vez, foram motivo de inúmeras críticas de instituições como o Comitê de Médicos para Medicina Responsável dos EUA. A entidade acusou a empresa de maus-tratos a animais, uma vez que a maioria dos macacos teriam morrido durante os testes.

No final de 2022, o comitê alegou ter recebido documentos que comprovavam o “extremo sofrimento” passado pelos símios utilizados nos laboratórios da Neuralink entre 2017 e 2020. Nas mais de 700 páginas dos documentos, há relatos de que apenas sete dos 23 macacos sobreviveram aos testes feitos pela companhia de Musk e pela Universidade de Califórnia em Davis.

Já os outros animais teriam sido sacrificados ou morrido em condições variadas, incluindo infecções não tratadas após procedimentos cirúrgicos, extremo cansaço, traumas e ferimentos que podem ter sido causados pelos próprios animais, sem conexão confirmada com os implantes.

Experimentos anteriores

Apesar das polêmicas, a Neuralink se baseia em décadas de tecnologia voltada para a implementação de eletrodos em cérebros humanos para interpretar sinais e tratar condições como paralisia, epilepsia e mal de Parkinson. Um dispositivo inicial é conhecido como matriz de Utah, que foi demonstrado pela primeira vez em um ser humano em 2004. De lá para cá, muitos concorrentes entraram no segmento, incluindo Synchron e Precision Neuroscience.

Afinal, o que é a Neuralink?

A companhia é uma startup fundada por Musk em 2017. O principal objetivo da Neuralink é construir uma interface cérebro-computador, no intuito de ajudar pessoas com lesões traumáticas e usar telefones e computadores apenas com seus pensamentos. Para alcançar este objetivo, a empresa está trabalhando na implementação de eletrodos nos cérebros das pessoas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.