Operação Lesa Pátria: deputado Carlos Jordy é um dos alvos da PF

O deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ) foi um dos alvos de uma operação realizada na última quinta (18) pela Polícia Federal.

A Polícia Federal cumpriu dez mandados de busca e apreensão relacionados à Operação Lesa Pátria na última quinta-feira (18). Um dos alvos foi o deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ). Houve buscas no gabinete do parlamentar na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), e em um endereço ligado a ele no Rio de Janeiro.

A suspeita da Polícia Federal é de que Carlos Jordy tenha ajudado a coordenar os atos antidemocráticos que aconteceram após as eleições presidenciais de 2022 e tiveram seu ápice no dia 8 de janeiro de 2023, com a invasão do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Palácio do Planalto.

A PF investiga se o deputado possui relação em especial com um ato realizado na cidade de Campos dos Goytacazes (RJ), onde houve o bloqueio de rodovias. Os demais alvos da operação são pessoas que ficaram acampadas em frente à 2ª Companhia de Infantaria em Campos dos Goytacazes, de acordo com a CNN.

Ao todo, o STF expediu oito mandados de busca para serem cumpridos no estado do Rio de Janeiro, enquanto outros dois foram cumpridos no Distrito Federal. A Polícia Federal argumenta que a nova fase da operação visa identificar as pessoas que planejaram, financiaram e incitaram os atos antidemocráticos que levaram aos ocorridos em 8 de janeiro de 2023.

Deputado se manifesta após mandados de busca

Líder da oposição na Câmara dos Deputados, Carlos Jordy está em seu segundo mandato consecutivo como deputado federal, e foi reeleito no ano de 2022 com mais de 114 mil votos. Ele também foi vereador da cidade de Niterói (RJ) entre 2017 e 2019.

“É inacreditável o que nós estamos vivendo. Esse mandado de busca e apreensão, determinado pelo ministro Alexandre Moraes, é a verdadeira constatação de que nós estamos vivendo uma ditadura. Eu, em momento algum do 8 de janeiro, incitei, falei para as pessoas que aquilo ali era correto, pelo contrário, em momento algum eu estive nos quartéis generais quando estava acontecendo todos aqueles acampamentos. Nunca apoiei nenhum tipo de ato anterior ou depois no 8 de janeiro, embora as pessoas tivessem todo o seu direito de fazer suas manifestações contra o governo eleito”, declarou Jordy.

Por meio de uma rede social, ele também chegou a se manifestar, declarando a operação como uma medida autoritária. “Busca e apreensão da PF por determinação de Alexandre de Moraes. Operação Lesa Pátria. Uma medida autoritária, sem fundamento, sem indício algum, que somente visa perseguir, intimidar e criar narrativa às vésperas de eleição municipal”, escreveu o deputado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.