PMs são contra câmeras em fardas por causa destas justificativas

Policiais militares do estado da Bahia se mostraram contrários ao uso de câmeras em fardamentos da polícia, medida prevista pelo governo.

A Polícia Militar da Bahia deverá implementar o uso de câmeras nas fardas. A medida, que foi implementada primeiro no estado de São Paulo, acabou sendo adotada por algumas outras polícias no Brasil, como Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pará, Rio Grande do Norte e Santa Catarina.

A chegada das câmeras corporais para o fardamento dos policiais militares estava prevista para acontecer antes do Carnaval deste ano. No entanto, o governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), voltou atrás com a ideia de implantar as câmeras já para o Carnaval deste ano. Ele havia informado que sua administração solicitou, ainda no final de 2023, um total de 1,1 mil câmeras para que chegassem até janeiro deste ano.

A medida, no entanto, não tem sido bem vista por muitos policiais. De acordo com o portal Correio 24 horas, que conversou com policiais em anonimato, o baixo efetivo de policiais militares nas ruas e o temor por ‘responsabilizações indevidas’ são os principais motivos para a reprovação da iniciativa.

“A gente, que está em campo e entende a atividade policial, se encontra em uma situação complicada. Ninguém fala do que é preciso para proteger os policiais e está faltando. O dinheiro investido nas câmeras poderia ser usado para blindar as nossas viaturas, comprar um armamento melhor ou até melhorias para nós como policiais, como o salário, que é baixo”, afirmou um policial.

Adoção de câmeras corporais na Polícia Militar da Bahia

O debate divide opiniões nas redes sociais, no entanto, entre os policiais, existe o entendimento de que os combates a tiros com facções criminosas podem gerar responsabilizações indevidas na Justiça. “Se os bandidos recebem a polícia com tiros, precisamos responder da mesma forma, por nossa própria proteção. Com cada morte virando o processo contra o agente que agiu em legítima defesa, ficamos de mãos atadas, com medo de agir da maneira que é necessária”, diz o mesmo policial.

Em Salvador, o avanço do tráfico acabou gerando um aumento nos combates entre policiais e facções que dividem a cidade. As câmeras são usadas para acompanhar o trabalho policial e reduzir a possibilidade de abusos por parte das forças de segurança.

Além da Bahia, o estado de Pernambuco também deverá adotar câmeras em breve. Outros estados como Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Maranhão e Ceará não utilizam câmeras. Por sua vez, Amazonas, Paraíba e Mato Grosso do Sul estão aguardando diretrizes do Ministério da Justiça para utilizar os equipamentos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.