Exploração de petróleo é uma oportunidade aos indicadores sociais do Amapá

O governador do estado deu o seu parecer sobre as possíveis medidas para elevar os índices sociais e econômicos; confira

Em entrevista concedida à CNN, o governador do Amapá, Clécio Luís, afirmou que a exploração de petróleo na margem equatorial é uma grande oportunidade para que o estado possa melhorar seus indicadores sociais e econômicos. Além disso, ele foi enfático ao refutar a ideia de que o empreendimento possa ter o mesmo destino de projetos passados que acabaram não trazendo o desenvolvimento esperado.

Para ele, por se tratar de uma matriz energética e econômica fundamental para o Brasil, o Amapá possui “os melhores indicadores ambientais do país e talvez do mundo”. Por outro lado, o estado apresenta os piores indicadores sociais e econômicos.

Em quase todos os indicadores sociais e econômicos, o Amapá é o 27°. No entanto, a gente vai para os indicadores ambientais, são os melhores. […] Nós queremos manter esses indicadores ambientais como os melhores do país, a floresta mais preservada, o maior número de áreas protegidas, mas nós queremos também que a nossa população, que os indicadores sociais e os indicadores econômicos também possam subir“, disse o governador.

Ele pontua que o estado não usufrui ao máximo da vantagem por conta da pobreza presente no Amapá. Sendo assim, o petróleo surge como uma oportunidade de mudar este cenário. “Não pode ser a única, nós temos que saber se ela será transitória“, ressaltou. Todavia, para Clécio, trata-se de uma das possibilidades mais fortes de “equilibrar o jogo”, uma vez que o investimento pode manter os indicadores ambientais e, de quebra, elevar os índices sociais e econômicos.

Próximos passos caso a medida seja implementada

Apesar de ainda não existir um plano concreto, uma vez que a possibilidade ainda vem sendo estudada, o governador destacou que ele e sua equipe estão voltando seus esforços para que um projeto seja apresentado o mais rápido possível.

Nós queremos resolver problemas imediatos da fome, da pobreza, das questões urbanas, dos 16 municípios do estado, mas queremos também fazer uma reserva para os tempos vindouros“, explica. Clécio acredita na transição energética e, por conta disso, é preciso “dar o exemplo”. O governador continua afirmando que, ao entender o petróleo como matriz econômica e energética, o Amapá poderá se preparar para aproveitar o financiamento que ele proporcionará para financiar a transição.

Posicionamento sobre os projetos que não deram em nada

Ao ser questionado sobre as promessas de desenvolvimento que foram um fracasso, o político destacou três delas e informou o que levou aos resultados ruins. “Eu posso falar três: Icomi, Jari e Novo Astro. Os três são um modelo de projeto chamado enclave econômico. São projetos todos construídos fora daqui, e eles eram cravados no meio do Amapá. Então, o modelo de primeira exploração, que é fazer pesquisa e, depois, se possível fazer exploração de petróleo, é um modelo diferente. Não é que eles não trouxeram desenvolvimento. É que, durante sua fase produtiva, não se pensou em uma outra alternativa“, explicou Clécio.

Ele argumenta que, durante uma fase de produção de petróleo, é preciso pensar primeiro em mudar as matrizes de suas instituições de pesquisa e educação, visando criar e formar quadros que possam trabalhar nessa área. “Depois, pensar em produtos, serviços, direcionamentos políticos e econômicos que possam dar longevidade a esse período que é transitório“, completou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.