Saiba como pegar ônibus gratuito em São Paulo no Natal (25)

Apesar do aumento na passagem, a medida entrou em vigência; entenda como vai funcionar a gratuidade

No último domingo (17), a Prefeitura de São Paulo implementou o programa Tarifa Zero na capital paulista, abrangendo todas as linhas da cidade. De acordo com as autoridades competentes, a gratuidade também será válida no Natal (25) e no dia de Ano Novo. Vale lembrar que o anúncio foi feito no dia 11 de dezembro, pelo prefeito Ricardo Nunes.

Curiosamente, a medida será mantida mesmo com o governo estadual aumentando a tarifa dos trens e metrô para R$ 5 a partir de 2024. “A catraca ficará utilizável e o passageiro que encostar o bilhete único terá o acesso liberado. Para o usuário que não tem o Bilhete Único, o cobrador tem um bilhete de bordo que liberará a catraca“, disse o diretor-presidente da SPTrans, Levi Oliveira.

Como informado pela Prefeitura, a medida tem como objetivo incentivar o uso do transporte público, ampliando o acesso ao lazer, parques, centros esportivos, eventos culturais, melhorar a economia e a oferta de empregos. “Só de espaços culturais da Prefeitura que abrem aos domingos, são 78, de espaços esportivos, 45, além de 112 parques“, destacou Nunes.

Para ele, não será preciso incrementar recursos ou ampliar o número de linhas, uma vez que desejam abrir mão do valor da tarifa que é paga aos domingos. Com isso, a Prefeitura deixará de arrecadar R$ 280 milhões, segundo o prefeito.

Tarifa é marcada por aumentos nos últimos anos

Para se ter uma ideia, o preço da tarifa do metrô e dos trens de São Paulo teve um aumento de R$ 2,30 para R$ 5 entre 2006 e 2017. Em valores absolutos, a alta foi de R$ 2,70, o equivalente a 117,4%. No começo de 2007, a passagem custava R$ 2,30. Meses antes, em novembro de 2006, o ticket do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) teve um reajuste de 15%. Até então, o valor cobrado era de R$ 2.

A partir do dia 1° de janeiro de 2024, o valor da passagem do metrô e dos trens em São Paulo terá alta de 13,64%, passando dos atuais R$ 4,40 para R$ 5. Vale lembrar que o reajuste foi confirmado pelo governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) e, diferentemente do que ocorria nos anos anteriores, o bilhete dos ônibus municipais na capital paulista não ficará mais caro.

Na semana passada, em entrevista coletiva, Tarcísio afirmou que o estado não tinha mais condições de subsidiar o valor atual da passagem, que não havia sido reajustada desde o início da pandemia de COVID-19. Vale lembrar que o último aumento das passagens entrou em vigor no dia 1° de janeiro de 2020, quando o bilhete passou de R$ 4,30 para R$ 4,40.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.