Míssil balístico que pode atingir os EUA é disparado pela Coreia do Norte

A Coreia do Norte lançou na última segunda-feira (18), um míssil balístico capaz de atingir os Estados Unidos da América (EUA).

A Coreia do Norte lançou na última segunda-feira (18) um míssil balístico de longo alcance e que tem potencial suficiente para atingir um país como os Estados Unidos. A informação foi divulgada por fontes da Coreia do Sul e do Japão, e isso aponta para um aumento no número recorde de testes armamentistas norte-coreanos neste ano de 2023.

De acordo com o Exército da Coreia do Sul, foi detectado o lançamento de um míssil balístico de longo alcance na região de Pyongyang, capital norte-coreana, na última segunda-feira. O projétil voou quase 1.000 quilômetros antes de cair no Mar do Leste, também conhecido como Mar do Japão.

O disparo foi feito após o lançamento de um míssil de menor alcance no domingo e poucos dias depois de uma troca de advertências entre Coreia do Norte e os países aliados Estados Unidos e Coreia do Sul contra ataques nucleares.

“O míssil balístico da classe ICBM lançado desta vez, se calculado com base na trajetória, dependendo do peso da ogiva, poderia ter um alcance de voo de mais de 15 mil quilômetros. Todo o território americano estaria dentro de sua capacidade de alcance”, afirmou o vice-ministro da Defesa, Shingo Miyake.

Míssil disparado pela Coreia do Norte nesta semana

O voo do míssil durou uma hora e 13 minutos, com uma altura máxima de mais de 6.000 km. Às 9h37 (horário japonês, 21h37 de Brasília, domingo), o míssil caiu no mar na Zona Econômica Exclusiva (ZEE) do Japão, de acordo com o que foi informado por Miyake.

O Ministério da Defesa japonês ainda confirmou o tipo do míssil e seu alcance potencial, que poderia abranger todo o território dos Estados Unidos. O Conselho Nacional de Segurança da Coreia do Sul chegou a realizar uma reunião de emergência após o ocorrido e condenou a ação do país vizinho.

Ainda de acordo com a Coreia do Sul, essa ação representa uma “ameaça grave para a paz e a segurança da península coreana e da comunidade internacional”.

O Departamento de Estado americano condenou o lançamento do teste. Por sua vez, a China, principal aliada da Coreia do Norte, não comentou o lançamento, mas divulgou uma nota, em que reitera seu apoio ao país asiático. “Diante da turbulenta situação internacional, a China e a RPDC sempre se apoiaram firmemente e confiaram uma na outra”, declarou o chefe da diplomacia chinesa, Wang Yi, utilizando a sigla oficial da Coreia do Norte.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.