Brasil deve ter mais de 6 milhões de turistas e receita recorde em 2023

A expectativa é de que o setor seja plenamente retomado e gere ainda mais lucro para os cofres brasileiros.

Ao que tudo indica, o Brasil deve atrair ainda este ano mais de seis milhões de turistas estrangeiros e pode igualar ou superar a receita recorde de R$ 34 bilhões no setor em um ano. A possibilidade foi informada na última quinta-feira (14) pelo ministro do Turismo, Celso Sabino, e pelo presidente da Embratur, Marcelo Freixo.

De acordo com os dados divulgados pelo Governo Federal, os números representam altas significativas em relação ao ano passado, quando foram recebidos 3,6 milhões de turistas estrangeiros e a receita gerada com o setor foi de R$ 24 bilhões.

No acumulado até o mês de setembro, a receita com turistas estrangeiros alcançou R$ 25 bilhões, e ainda faltam ser contabilizados os números do último trimestre. “Esperamos mais de 106 milhões de brasileiros viajando pelo Brasil, mais de seis milhões de estrangeiros e mais de R$ 30 bilhões gastos aqui neste ano“, disse Sabino.

O ministro também destaca que as perspectivas para os próximos anos são ainda melhores, tendo em vista a promoção internacional do Brasil como chamariz para atrair turistas. Segundo ele, isso só será possível por conta dos esforços que vêm sendo feitos para melhorar os indicadores. “Recebemos seis milhões de turistas, mas é um consenso que é algo muito pequeno em relação ao mundo e às nossas potencialidades. Nosso esforço é grande para mudar esse cenário“, acrescentou.

Setor de turismo apresenta cenário promissor

De acordo com Freixo, da Embratur, a expectativa é chegar dentro de dois anos a oito milhões de turistas estrangeiros por ano. “É possível que a gente iguale ou supere os R$ 34 bilhões de 2014“, disse, mencionando o ano em que o Brasil sediou a Copa do Mundo.

Sabino e Freixo inauguraram na quinta-feira o primeiro escritório da Organização Mundial do Turismo (OMT) para a região das Américas e Caribe, no Rio de Janeiro, cidade que tem enfrentado uma recente onda de casos de violência, inclusive em pontos turísticos, como a praia de Copacabana.

Para Sabino, eventos de violência acontecem em todas as cidades turísticas do mundo. “Não quero tapar o sol com a peneira, mas esse é um problema do mundo todo e não temos problemas bélicos, climáticos. O cotidiano do Rio é de paz e não de quem vive assombrado ou com medo de ser assassinado“, disse o ministro.

Todavia, estima-se a plena recuperação do setor de turismo no Brasil em 2023, com receita equivalente a quase 8% do Produto Interno Bruto (PIB). Rio de Janeiro (RJ), Foz do Iguaçu (PR), Salvador (BA), e o Jalapão (TO) são alguns dos lugares mais frequentados por turistas do exterior.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.