Conheça o empresário morto após confundir policiais com ladrões

Tendo duvidado da identidade dos policiais e uma abordagem no sábado, o empresário atirou contra eles. No fim do confronto, 3 pessoas vieram a óbito

Rogério Saladino, um empresário brasileiro de 56 anos, cuja trajetória profissional se destacava no setor da medicina e diagnóstico, ocupando a posição de presidente do Biofast, uma rede de laboratórios com oito unidades distribuídas pelo estado de São Paulo, veio a óbito na noite do último sábado (16) após um episódio tumultuado envolvendo as autoridades nos Jardins, uma área nobre da cidade de São Paulo.

empresário
Rogério Saladino. (Foto: reprodução/O GLOBO)
Sugestões para você

Igrejas podem pagar menos impostos se esta PEC for…

O incidente teve início quando dois agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) se dirigiram à área dos Jardins para apurar um roubo domiciliar ocorrido na noite anterior. Durante a abordagem a Alex James Gomes Mury, o vigia da residência de Saladino, com o intuito de obter acesso às gravações das câmeras de segurança da casa, uma sucessão de eventos se desencadeou, culminando em um desfecho trágico.

Desconfiando da legitimidade dos agentes da lei, Rogério Saladino, munido de duas armas – uma pistola 380 registrada em seu nome e outra calibre 45 sem registro -, efetuou dois disparos para o alto. Em seguida, ao abrir o portão de sua residência, disparou contra os policiais civis, resultando em ferimentos na investigadora Milene Estevam. Em resposta, o policial civil reagiu, atingindo Saladino, enquanto o vigilante Alex James tentou agredir o policial antes de ser atingido e falecer no local.

Óbito e antecedentes

Após os ferimentos, Rogério Saladino foi encaminhado ao Hospital São Paulo, onde, lamentavelmente, não conseguiu sobreviver. A investigadora Milene Estevam, socorrida também, infelizmente não resistiu e faleceu na Santa Casa. Durante os procedimentos periciais, foram identificadas substâncias entorpecentes, como maconha, haxixe e drogas sintéticas, além de uma grande quantidade de bebidas alcoólicas na residência de Saladino.

Rogério Saladino possuía registros criminais anteriores, um deles datado de 1989, quando foi preso por homicídio e lesão corporal, e o outro em 2008, relacionado a um crime ambiental. A família de Saladino agradeceu as mensagens de apoio e pediu respeito à sua privacidade durante esse período desafiador.

Relação e velório do empresário

Rogério Saladino mantinha um relacionamento com Bianca Klamt, uma modelo e arquiteta com quase 60 mil seguidores no Instagram. Nas plataformas sociais, Bianca compartilhou que o casal estava preparando um almoço em casa, com a presença de poucas pessoas, poucas horas antes do fatídico acontecimento que resultou na morte de Saladino.

A cerimônia fúnebre de Rogério Saladino ocorreu na segunda-feira (18), na capela do cemitério do Morumbi, das 8h às 16h. O trágico incidente não apenas encerrou a vida de um empresário bem-sucedido, mas também causou a perda de uma dedicada policial civil e do vigilante que desempenhava suas funções na residência, provocando comoção na comunidade paulistana.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.