Reforma tributária pode aumentar crescimento do Brasil, diz CNI

Além da entidade, o presidente Lula celebrou a aprovação do projeto no Congresso Nacional

Na última sexta-feira (15), a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou uma nota para celebrar a aprovação da reforma tributária no Congresso Nacional. O presidente da entidade, Ricardo Alban, ressaltou que a mudança no sistema tributário brasileiro era aguardada há mais 30 anos e que ela representa “uma grande conquista para todo o país”.

Para ele, o novo modelo de tributação sobre o consumo trará ganhos para todos os brasileiros, com mais crescimento econômico, empregos e renda. “O novo sistema de tributos sobre o consumo vai eliminar distorções que reduzem a competitividade da indústria, como a cumulatividade, o acúmulo de créditos tributários, a oneração dos investimentos e das exportações e os custos para calcular e pagar os tributos. O Brasil vai crescer mais, com mais indústria“, disse o executivo.

Ele completa afirmando que é uma excelente mudança, “principalmente pelo momento em que o país discute como promover a neoindustrialização da economia brasileira”.

Lula dá seu parecer sobre a reforma tributária

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), comemorou a aprovação da reforma tributária no Congresso Nacional. “Pela primeira vez na história conseguimos aprovar uma reforma tributária para facilitar o investimento, facilitar o pagamento de imposto. Pagar mais quem ganha mais, pagar menos quem ganha menos. O que aconteceu foi um fato histórico“, declarou o chefe do Executivo.

A fala ocorreu durante a solenidade de assinatura do contrato de início das obras de um empreendimento habitacional no bairro de Itaquera, na zona leste da cidade de São Paulo. A obra, que faz parte do Minha Casa, Minha Vida, deve construir, em dois anos, 2.650 unidades habitacionais de dois quartos para famílias com renda de até dois salários mínimos (R$ 2.640) ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Dentro dessa modalidade do programa, os beneficiários são organizados por meio de entidades privadas sem fins lucrativos, como associações e cooperativas. O projeto será tocado pelas próprias famílias e o valor das prestações mensais terá como base a renda comprovada no início do processo.

O evento também contou com a presença da ministra Marina Silva, do Meio Ambiente e Mudança do Clima, do ministro Alexandre Padilha, das Relações Institucionais, e do ministro Fernando Haddad, da Fazenda, além da participação de Guilherme Boulos (PSOL), pré-candidato à prefeitura de São Paulo. Desde o início dos anos 2000, o deputado federal é um dos líderes do MTST.

Na última quinta-feira (14), Lula e Boulos se encontraram no Palácio do Planalto. Já na sexta-feira (15), o presidente participou da inauguração de uma obra no Espírito Santo, dando início a uma série de participações em eventos nacionais, como foco nas eleições de 2024. Em seu discurso, criticou o ex-presidente Jair Messias Bolsonaro e tentou se aproximar do eleitorado evangélico.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.