Parceria da Vigilantes do Peso com Ozempic é lançada nos EUA

Uma parceria firmada entre a Ozempic e a empresa Vigilantes do Peso está sendo lançada nos Estados Unidos da América.

Um dos medicamentos que estão sendo bastante utilizados atualmente é o Ozempic, que é útil para reduzir o nível de açúcar no sangue em adultos com diabete tipo 2. A medicação também pode ajudar na perda de peso, visto que ele é responsável por aumentar a sensação de saciedade, atuando para inibir o apetite no organismo.

Por conta de sua popularidade, ele começou a ser copiado por outros tipos de fármacos, e por isso, a Novo Nordisk, empresa responsável pela produção do Ozempic, entrou com uma ação judicial em que processa duas fabricantes de versões não aprovadas do remédio.

O Ozempic conta com um princípio ativo de semaglutida, que também é responsável por estimular a secreção de insulina e diminuir a secreção de glucagon somente quando a glicose sanguínea estiver elevada. Essa semaglutida é patenteada pela Novo Nordisk, que não fornece seu ingrediente para outros grupos.

Como o remédio está sendo bastante utilizado para a perda de peso, foi firmada também uma parceria entre a marca Ozempic e a WeightWatchers, conhecida no Brasil como Vigilantes do Peso. O anúncio foi feito na última semana, e após isso, as ações da Novo Nordisk subiram 6,38% na Bolsa de Nova York e fecharam em US$ 7,84.

Parceia entre Ozempic e Vigilantes do Peso

A Novo Nordisk lançou na última quinta-feira (14) um novo plano de associação para membros que tomam medicamentos de prescrição para perda de peso GLP-1, como Ozempic e Wegovy. O programa denominado como “Programa GLP-1 da WeightWatchers” possibilitará aos membros que tomam os remédios acesso a médicos que podem prescrever esses medicamentos, bem como planos de nutrição diária, coordenação de seguros e outros programas para perda de peso.

O semaglutide, presente no Ozempic, foi aprovado pela autoridade sanitária dos EUA (FDA, na sigla em inglês) para tratar a diabete tipo 2. As projeções deste ano indicam que cerca de R$ 15 milhões de adultos nos Estados Unidos estão tomando esses medicamentos até 2031, ou seja, cerca de 13% de todos os adultos do país. O levantamento foi feito sem levar em conta os pacientes diabéticos.

No entanto, os riscos de longo prazo do Ozempic e Wegovy também continuam sendo estudados, visto que esses medicamentos não são soluções independentes e exigem uma abordagem abrangente de dieta e exercícios para o controle de peso contínuo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.