10 documentos serão substituídos pelo novo CPF

O novo CPF (Cadastro de Pessoa Física) está sendo emitido com a possibilidade de substituir cerca de 10 documentos pessoais.

O CPF (Cadastro de Pessoa Física) é um dos principais documentos utilizados pelos cidadãos brasileiros. Apesar de não ser um documento com foto, ele é bastante útil, visto que é utilizado para identificação dos contribuintes no Imposto de Renda, bem como para identificação pessoal.

Em 2024, um novo CPF está sendo elaborado, e ele poderá substituir cerca de 10 documentos essenciais. Isso pode representar uma simplificação burocrática para muitos brasileiros, visto que não será necessário manter diversos documentos para finalidades diferentes.

Quais documentos o novo CPF poderá substituir?

O novo CPF poderá ser útil para substituir documentos como PIS (Programa de Integração Social), PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público), Carteira de Trabalho (CTPS), Certificado de Serviço Militar, CNH (Carteira Nacional de Habilitação), Cadastro Único (CadÚnico), número de matrícula em instituições federais de ensino superior, NIT (Número de Identificação do Trabalhador), carteira de identidade e outros mais.

Isso pode ser visto como uma facilidade, visto que deverá haver uma redução na necessidade de lembrar de vários números ou de portar diversos documentos. Outro ponto importante é a eficiência desta mudança, já que órgãos públicos com bases de dados integradas facilitam o acesso a serviços. Além disso, o CPF é um documento único e intransferível, e isso poderá reduzir a possibilidade de fraudes.

Novo CPF

O novo CPF é correspondente à CIN (Carteira de Identidade Nacional), que começou a ser emitida em nove estados brasileiros neste ano de 2023. Essa identidade utiliza os números do CPF para a identificação como “registro geral, único e válido para todo o país”.

De acordo com o Ministério da Gestão e Inovação, o documento digital evita fraudes, visto que proporciona ao governo maior segurança para comprovar a identidade do cidadão. Com o RG, é possível que pessoas distintas tenham o mesmo número de registro em diferentes estados, já que o documento é emitido pelos órgãos de cada estado, como é o caso da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

A identidade digital é emitida de forma gratuita e é um documento físico válido até o dia 28 de fevereiro de 2032. Ela é emitida de maneira digital, e para isso, é necessário estar com o CPF regularizado. O prazo de validade do novo documento será variado conforme a idade da pessoa. De 0 a 12 anos incompletos, a validade será de 5 anos; 12 a 60 anos incompletos, a validade é de 10 anos. Acima de 60 anos, a validade é indeterminada.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.