Títulos verdes brasileiros podem ter investimento dos Estados Unidos

Os EUA tem forte interesse em investir na economia verde brasileira. Tanto é que representam 75% na aquisição dos primeiros títulos verdes brasileiros

Abrão Árabe Neto, presidente da Câmara Americana de Comércio (Amcham Brasil), informou à CNN sobre um significativo interesse por parte das empresas norte-americanas em fortalecer as relações econômicas e comerciais com o Brasil. Esse interesse concentra-se especialmente em áreas ligadas à economia verde, energias limpas e tecnologia sustentável, seguindo uma tendência mundial em ascensão.

Segundo Árabe Neto, os Estados Unidos ocupam a posição de principal parceiro econômico do Brasil em termos de comércio e investimento. Essa parceria sólida tem fomentado o interesse em investimentos abrangendo várias áreas, desde cadeias produtivas relacionadas a minerais críticos até equipamentos de saúde. O executivo destaca um movimento global em direção à diversificação das cadeias produtivas, visando mitigar riscos em diversas frentes, como aspectos sociais, políticos, climáticos e sanitários.

Investimentos americanos

Essa tendência de diversificação tem sido liderada pelos Estados Unidos, e o Brasil, com suas características singulares, tem se destacado como um destino atrativo para esses investimentos. Fatores como uma matriz energética limpa, uma história de parceria com os EUA, estabilidade política e a consolidação da democracia no país contribuem para torná-lo atrativo nesse cenário.

No que diz respeito às questões ambientais, o Brasil tem assumido compromissos substanciais, e as empresas dos Estados Unidos estão participando ativamente desse movimento sustentável. A economia verde tornou-se um foco central de interesse, e investimentos significativos, aproximadamente R$ 30 bilhões, já foram destinados por empresas americanas para iniciativas de sustentabilidade no Brasil.

O presidente da Amcham enfatiza que o cenário atual oferece uma oportunidade oportuna para que ambos os países desenvolvam uma agenda concreta nos setores estratégicos mencionados. As conversas sobre economia verde e sustentabilidade já estão em andamento nas negociações bilaterais, sendo abordadas em reuniões recentes, como no Fórum de Altos Executivos Brasil-Estados Unidos (Fórum de CEOs).

Títulos verdes do Brasil

A entrada do Brasil no mercado global de “green bonds,” que são títulos públicos sustentáveis, foi um êxito ao arrecadar US$ 2 bilhões. A condução da operação ficou a cargo dos bancos Itaú, J.P. Morgan e Santander. Os títulos, com validade prevista para março de 2031 e um prazo de sete anos, foram ofertados a uma taxa de 6,5% ao ano.

Esse acontecimento assinala a estreia do Brasil no mercado internacional com uma emissão soberana atrelada ao selo de sustentabilidade. Na etapa de distribuição, destacou-se a expressiva participação de investidores não residentes, com cerca de 75% oriundos da Europa e América do Norte, enquanto a América Latina, incluindo o Brasil, respondeu por 25%. A perspectiva é que essa emissão de dívida externa sustentável desempenhe um papel crucial em atrair mais investimentos estrangeiros para o país.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.