Invasão do perfil de Janja faz PF realizar buscas em Brasília

A Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão contra um suspeito de hackear a conta da primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja.

A primeira-dama do Brasil, Rosângela da Silva, conhecida como Janja, teve seu perfil no X (antigo Twitter) hackeado nesta semana. Na última segunda-feira (11), um hacker acessou a conta e publicou diversas mensagens de caráter misógino, além de xingamentos e ofensas.

Após isso, a Polícia Federal e a Advocacia-Geral da União (AGU) notificaram a rede social, e já na última quinta-feira (14), equipes da PF fizeram buscas contra um suspeito do hackeamento. Foram expedidos dois mandados de busca e apreensão contra um adolescente de 17 anos que mora em Sobradinho, região administrativa do Distrito Federal. 

O outro mandado de busca foi feito na casa do padrasto do adolescente, na localidade de Santa Maria, também no Distrito Federal. No momento do cumprimento do mandado, ele chegou a admitir para os policiais que invadiu a conta, no entanto, a confissão só é considerada oficial caso o relato seja dado por meio de um depoimento formal.

Polícia Federal faz buscas contra hacker do perfil de Janja

Após o perfil ter sido hackeado, AGU cobrou o congelamento da conta com o @JanjaLula até a conclusão das investigações e também a preservação de todos os registros e elementos digitais relativos à conta. A cobrança foi feita por meio de uma notificação extrajudicial.

“Em caso de descumprimento das medidas solicitadas, fica reservado o direito de adoção de medidas judiciais necessárias para a proteção dos direitos violados, incluindo, mas não se limitando a, ações indenizatórias e representações criminais”, afirma o procurador-geral da União, Marcelo Eugênio Feitosa.

O inquérito policial sobre a invasão do perfil da primeira-dama foi conduzido pela Diretoria de Crimes Cibernéticos da Polícia Federal. Ainda na última terça-feira (12), a PF havia realizado buscas em Belo Horizonte (MG) e em Ribeirão das Neves (MG), na Grande BH.

O suspeito foi ouvido e liberado, e negou participação no caso. Agora, a PF investiga se os dois suspeitos agiram em conjunto. No mesmo dia, Janja se pronunciou sobre a invasão de seu perfil. “Na noite de ontem, os ataques de ódio e o desrespeito que eu sofro diariamente chegaram a outro patamar. Minha conta do X foi hackeada e, por minutos intermináveis, foram publicadas mensagens misóginas e violentas contra mim. Posts machistas e criminosos, típicos de quem despreza as mulheres, a convivência em sociedade, a democracia e a lei”, escreveu a primeira-dama. 

Os xingamentos publicados na conta foram endereçados a ela, ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A conta possui mais de 1 milhão de seguidores na rede social. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.