Inquérito de impeachment de Biden é aprovado por Câmara

Inquéritos para investigar toda a família Biden foram estipulados. O presidente estadunidense apontou o impeachment como um “golpe político infundado”

A Câmara dos Estados Unidos formalizou a aprovação para a abertura de um inquérito de impeachment contra o presidente Joe Biden, que teve início em setembro por iniciativa do então presidente da Casa, o republicano Kevin McCarthy.

Desde o início do processo, os três comitês encarregados da investigação têm conduzido interrogatórios com vários funcionários do Departamento de Justiça e da Receita Federal dos EUA. Simultaneamente, conseguiram obter uma série de documentos, incluindo registros bancários de membros da família Biden.

A oficialização, como ressaltam integrantes do Partido Republicano, fortalece as intimações e a base jurídica do inquérito. Membros republicanos no Comitê de Regras da Câmara argumentam que essa ação foi uma reação à recusa do governo em fornecer os documentos requisitados.

Inquérito Biden

O comitê de supervisão da Câmara, um dos comitês centrais na condução da investigação, focou-se nas atividades comerciais internacionais de Hunter Biden, procurando estabelecer conexões com seu pai, Joe Biden. Nas etapas iniciais, foram realizados interrogatórios com cinco pessoas, e nove intimações bancárias foram emitidas.

Recentemente, o comitê dirigido pelos republicanos divulgou um documento que expõe os pagamentos realizados pela entidade empresarial de Hunter Biden, a Owasco PC, a Joe Biden quando este não ocupava o cargo. Contudo, o comitê deixou de apresentar evidências que indicassem que o filho do presidente estava reembolsando o pai por um veículo.

O comitê tornou públicos cheques pessoais do irmão do presidente, James Biden, destinados a Joe Biden durante seu período fora do cargo. Contudo, as informações sugerem que esses cheques constituíam reembolsos de empréstimos.

Apesar de esses pagamentos não corroborarem as alegações de que o presidente obtinha lucros por meio dos negócios internacionais de sua família, a existência dos cheques tem suscitado críticas por parte dos opositores políticos e da base de extrema-direita do Partido Republicano.

Falta de provas e pronunciamento do presidente

Apesar das recentes intimações e do planejamento de depoimentos adicionais pelos republicanos, que incluem membros da família do presidente, até o momento não foram descobertas evidências que respaldem as acusações contra Biden.

Até agora, apenas uma audiência vinculada ao inquérito foi realizada, durante a qual os especialistas convocados pelos republicanos reconheceram que o partido ainda não forneceu evidências suficientes para sustentar as acusações.

Ao longo de todas as fases, os democratas na Câmara e a Casa Branca têm contestado e, por vezes, desmentido as alegações apresentadas pelos republicanos, os quais buscaram estabelecer uma conexão entre Joe Biden e os lucrativos acordos estrangeiros de seu filho.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, classificou a abertura do inquérito de impeachment contra ele como um “golpe político sem fundamento”. Em sua declaração, Biden alegou que, ao invés de trabalharem para melhorar a vida dos americanos, seus opositores estão concentrados em difamá-lo com informações falsas. Ele caracterizou o inquérito como uma manobra política carente de fundamentos factuais, um ponto reconhecido inclusive por membros republicanos no Congresso.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.