Saiu a lista de quem deve para a Caixa e poderá renegociar com o Desenrola Brasil

A Caixa Econômica Federal está renegociando dívidas de até R$ 20 por meio do Desenrola Brasil, programa do Governo Federal.

O Desenrola Brasil é um dos principais programas criados pelo Governo Federal neste ano de 2023. Voltada para pessoas em situação de inadimplência, a iniciativa visa diminuir o número de endividados no Brasil por meio da renegociação de dívidas bancárias, e por isso, ainda é possível aproveitar a medida.

De acordo com o Serasa Experian, que está envolvido na elaboração da medida, o Brasil estava com mais de 70 milhões de pessoas em situação de inadimplência até julho deste ano, quando o programa foi iniciado. Por isso, uma das primeiras propostas do Desenrola Brasil foi colocada em prática. Cidadãos que possuíam apenas dívidas de até R$ 100 tiveram os nomes retirados da lista da inadimplência.

O programa ainda está em vigor, e é possível renegociar as dívidas por meio de bancos e instituições financeiras, como é o caso de Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nubank, Inter, MercadoPago e PicPay. Ao todo, já foram renegociados R$ 5 bilhões até o momento, possibilitando a retirada momentânea ou futura de diversas pessoas da lista de inadimplentes do Serasa e do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito).

Quem pode renegociar dívidas pelo Desenrola Brasil?

Para renegociar dívidas bancárias através do programa, é necessário, antes de tudo, possuir conta no portal Gov.br de nível Prata ou Ouro. É por meio dessa plataforma que as pessoas podem acessar as renegociações de débitos do Desenrola Brasil.

As negociações seguem em curso até o dia 31 de dezembro deste ano, e possibilita que pessoas com dívidas de até R$ 20 mil sejam contempladas com condições exclusivas de pagamento. Os débitos estão sendo separados por lotes, e cada um dura apenas 20 dias.

De acordo com o que já foi adiantado pelo Governo Federal, o Desenrola Brasil deverá ter prosseguimento até o ano de 2024, pelo menos até os primeiros meses. O programa já possibilitou, até o momento, a renegociação de cerca de R$ 246 bilhões em dívidas bancárias, sendo a maioria delas de até R$ 20 mil.

Em 2024, o programa deverá se estender para as empresas, de acordo com o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin. O Serasa aponta que as companhias do setor de serviços são as mais endividadas atualmente, e por isso, as renegociações também poderão contemplá-las.

“Programas de resgate financeiro são bons desde que pessoas não sejam endividadas compulsivas e que empresas tenham viabilidade econômica. Então, você resgata uma empresa que mantém empregos, você salva a empresa e salva empregos”, opina o assessor econômico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomércioSP), Fábio Pina.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.