59% das dívidas dos cartões são de compras em supermercados

O Serasa apurou que as dívidas dos brasileiros são, em sua maioria, para comprar comida. O Instituto Locomotiva também analisou outros pontos

A situação complexa e a diversidade de dívidas no Brasil são evidenciadas por estudos recentes, tais como a pesquisa Perfil e Comportamento do Endividamento Brasileiro, divulgada pela Serasa, e o levantamento realizado pelo Instituto Locomotiva em colaboração com a MFM Tecnologia.

Essas pesquisas proporcionam informações preciosas acerca dos padrões de endividamento, suas origens e as consequências na situação financeira das famílias na atualidade. Conforme indicado pela pesquisa da Serasa, aproximadamente 59% das dívidas de cartão de crédito dos brasileiros têm como origem compras efetuadas em supermercados.

Dívidas

Na segunda posição, abarcando 46% das dívidas, encontram-se as aquisições de itens como vestuário, calçados e eletrodomésticos, sinalizando o impacto do consumo de bens duráveis nas finanças dos consumidores. Já em terceiro lugar, os dispêndios com medicamentos e tratamentos médicos representam 37% das obrigações financeiras.

A composição demográfica dos entrevistados na pesquisa é variada, englobando mais de 11 mil participantes com idade superior a 18 anos, sendo 52% do sexo masculino e 48% do sexo feminino, distribuídos por todas as regiões do país.

Adicionalmente, é relevante notar que, ao longo deste ano, 55% dos brasileiros endividados foram afetados por pendências no cartão de crédito, uma proporção que ultrapassa os índices registrados em 2021 e 2022. No período anterior à pandemia, em 2018, a situação era ainda mais crítica, com 76%, destacando a natureza volátil das condições econômicas e financeiras.

Análise do Instituto Locomotiva

O Instituto Locomotiva e a MFM Tecnologia, em seu levantamento acerca do panorama dos brasileiros em situação de inadimplência, oferecem informações adicionais sobre a abrangência do endividamento no país. O estudo aponta que oito em cada dez famílias brasileiras possuem dívidas, e um terço delas está com pagamentos em atraso. Apesar de uma melhoria nos índices em relação ao ápice da pandemia, os níveis ainda são considerados elevados.

Origens: Deixar de quitar dívidas junto a bancos, financeiras, empréstimos e financiamentos é um desafio para 43% dos brasileiros atualmente. Esse percentual representa um aumento em relação ao ano anterior, quando essa proporção era de 40%.

Motivos:

  • A falta de planejamento financeiro é apontada por 36% como a principal razão.
  • O desemprego é citado por 34% como um dos motivos.
  • Gastos inesperados com saúde são destacados por 30% dos entrevistados.
  • O empréstimo do nome para realizar compras ou contratar serviços figura como uma causa significativa, representando 16% das respostas.

Pagamento:

  • 39% afirmam ter certeza de que conseguirão quitar seus débitos. Essa porcentagem representa um aumento notável em relação aos 25% registrados em 2022.
  • No entanto, 23% dos entrevistados, embora esperançosos, não têm certeza se conseguirão pagar suas dívidas.

Inadimplência: A pesquisa explora a relação entre inadimplência e gênero, revelando que 9% das mulheres afirmam não ter condições de quitar suas dívidas. No mesmo percentual, 9% das pessoas com ensino fundamental também relatam dificuldades para liquidar suas dívidas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.