SUS e Bolsa Família são elogiados por Bill Gates: “países podem imitar”

Em um artigo, Bill Gates teceu elogios ao SUS e ao Bolsa Família ao mesmo tempo que abordou como os outros países podem aprender com eles

O magnata estadunidense Bill Gates, criador da Microsoft, expressou sua admiração pelo Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro e pelo programa Bolsa Família em um artigo divulgado em seu blog pessoal, o Gates Notes, na terça-feira (12). No texto, Gates ressalta o Brasil como um modelo digno de estudo e reprodução em escala global, indicando que “outros países podem aprender e imitar”.

No referido artigo, são apresentados dois gráficos que evidenciam os efeitos benéficos desses aportes. O primeiro gráfico revela uma queda de 56% na taxa de mortalidade infantil, decorrente do aumento nos investimentos em saúde. Já o segundo gráfico retrata uma redução de 18% na parcela da população em situação de pobreza, resultado da ampliação dos programas sociais.

Elogios sobre o SUS e o Bolsa Família

Gates explora a gênese do SUS no final dos anos 1980, após o período da ditadura militar, ressaltando a transformação do Brasil de um dos países menos equitativos para a instituição do SUS. Este sistema, ao longo dos anos, tem promovido o acesso dos segmentos mais vulneráveis da população aos serviços de saúde.

Em um período de cerca de trinta anos, Bill Gates observa que o Brasil registrou avanços notáveis, como a redução expressiva na mortalidade materna (quase 60%), uma diminuição de 75% na mortalidade infantil de crianças menores de cinco anos e um aumento na expectativa de vida de quase uma década. Ele destaca que tais conquistas resultam de investimentos de longo prazo no sistema de saúde primária do país.

O magnata destaca a relevância de não apenas possuir um sistema de saúde, mas também assegurar seu financiamento para abranger as pessoas mais vulneráveis. Ele ressalta a função crucial dos mais de 268 mil agentes comunitários de saúde no Brasil, que atendem quase dois terços da população, fornecendo orientações sobre saúde, acompanhando consultas médicas e auxiliando as pessoas na navegação pelos serviços governamentais.

Gates sublinha o Bolsa Família como um estímulo aos cuidados de saúde, uma vez que as famílias devem atender a condições específicas, como a vacinação de crianças e a realização de cuidados pré-natais, para receber o auxílio financeiro. Ele destaca que o Bolsa Família, em conjunto com os cuidados de saúde primários, desempenhou um papel na diminuição da mortalidade infantil e contribuiu para a elevação de quase um quinto da população para fora da situação de pobreza.

Veredito de Bill Gates

Apesar dos elogios, Gates reconhece que o Brasil está diante de desafios, como crises financeiras e medidas de austeridade que resultaram em reduções nos investimentos em saúde. Isso se traduz em regiões onde indivíduos de baixa renda ainda encontram obstáculos para acessar serviços de saúde. Contudo, ele enfatiza que a perfeição não é requisito para o SUS ser uma evidência do que ocorre quando um país investe estrategicamente no cuidado dos mais vulneráveis, gerando benefícios de longo alcance e transformando vidas.

Gates finaliza sua análise destacando que, embora cada nação seja singular, a conjunção adequada de investimento e inovação permitiu ao Brasil avançar consideravelmente na direção de um ambiente mais saudável para sua população. Ele insinua que, mantendo esse rumo e inspirando outras nações a seguir ou ajustar suas próprias estratégias considerando o exemplo brasileiro, o mundo poderá experimentar melhorias substanciais na saúde global.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.