Vídeo: rompimento de mina da Braskem é registrado em Maceió

O registro foi publicado pelo prefeito da cidade, João Henrique Caldas, em sua conta oficial no X

No último domingo (10), às 13h15, a mina de número 18 da Braskem, localizada em Maceió, capital de Alagoas, sofreu um rompimento no trecho da lagoa próximo ao bairro Mutange. O acidente foi confirmado pela prefeitura do município.

O prefeito da cidade, João Henrique Caldas, falou sobre o rompimento da mina Braskem em seu perfil oficial no X (antigo Twitter), onde também divulgou um vídeo do momento. Devido ao alto risco de desabamento, o local e seu entorno foram desocupados pelas autoridades locais. Veja o registro a seguir:



Em comunicado oficial divulgado na manhã de domingo, a Defesa Civil de Maceió informou que o local mantém o ritmo de afundamento nas últimas 12 horas, com a velocidade da erosão caindo de 0,54 cm para 0,52 cm por hora. Em 24 horas após o rompimento da mina, o deslocamento vertical de terra foi de mais 12,5 cm. Desde o início da crise na mina 18, o chão já afundou 2,35 metros, de acordo com a Defesa Civil.

O que está acontecendo em Alagoas?

A exploração de sal-gema começou na década de 1970 em Maceió. De lá para cá, foram criados 35 poços de extração. No entanto, os primeiros danos na região aconteceram em fevereiro de 2018, quando um forte tremor de terra resultou em diversas rachaduras no bairro Mutange. Uma delas tem 280 m de extensão. Na ocasião, mais de 55 mil moradores do bairro precisaram deixar suas casas.

A preocupação das autoridades competentes é que o desabamento possa ocasionar grandes crateras, além de outros tremores de terra. O efeito cascata de rompimento de solo em outras regiões também é uma possibilidade. Somente no mês de novembro desde ano, cinco abalos sísmicos foram registrados no Mutange.

Braskem pode ser vendida para investidores árabes

A Braskem, petroquímica controlada pela Novonor, está à venda há anos. O negócio é visto como fundamental para a empreiteira, que está em recuperação judicial após as investigações da Operação Lava Jato. Entretanto, uma possível negociação pode ficar mais complicada com o agravamento da crise ambiental em Maceió.

Cabe mencionar que a companhia é uma sociedade entre a Novonor (antiga Odebrecht) e a Petrobras. A primeira detém 50,1% do capital votante da Braskem, e a segunda possui 47% das ações com direito a voto. O faturamento anual da gigante da produção de plásticos é um dos mais altos do país, na casa de R$ 96 bilhões.

Recentemente, a petroleira de Abu Dhabi Adnoc apresentou uma proposta de R$ 10,5 milhões pela fatia da Novonor no negócio. Os árabes também negociam com a Petrobras que, com a mudança de governo, agora considera ampliar sua participação na petroquímica. Além disso, a Braskem recebeu propostas da Unipar e da J&F, mas a negociação esfriou. Atualmente, a empresa vale cerca de R$ 12,2 bilhões na bolsa, na cotação do dia 7 de dezembro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.