Números recordes do Bolsa Família foram alcançados em 2023

Desde a sua reativação em março deste ano, o Bolsa Família tem quebrado uma série de recordes

Na segunda-feira (11), o Governo Federal, junto do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), pasta responsável pelo programa, e a Caixa Econômica Federal (CEF), encarregada de efetuar os depósitos do benefício, deu início aos pagamentos que competem a este mês de dezembro. Em seu primeiro ano de retomada, tendo em mente que o programa havia sido substituído pelo Auxílio Brasil na gestão passada, os números registrados pela iniciativa quebraram recordes.

Segundo os dados divulgados pelo MDS, o programa de transferência de renda atendeu cerca de 21,3 milhões de famílias em situação de vulnerabilidade em 2023, superando os 19,2 milhões de inscritos no ano passado. O investimento federal também registrou o maior volume de recursos desde o início do projeto: foram R$ 14,1 bilhões mensais, contra R$ 7,8 bilhões em 2022.

O valor médio pago aos beneficiários foi de R$ 670,36 por mês neste ano, também sendo o maior patamar alcançado. Em 2022, o benefício médio foi de R$ 394,48. Os cálculos levam em consideração tanto o Bolsa Família, reativado em março deste ano, quanto o período em que o programa foi substituído pelo Auxílio Brasil. Neste mês de dezembro, um total de 21,06 milhões de famílias foram agraciadas com o auxílio, que vão receber um valor médio de R$ 680,61. O investimento soma R$ 14,25 bilhões.

Para se ter uma ideia, são R$ 22 milhões para 462 mil gestantes, R$ 20 milhões para 420 mil nutrizes, R$ 578 milhões para 12,6 milhões de crianças e adolescentes de sete a 16 anos e mais R$ 136 milhões para 3 milhões de adolescentes de 16 a 18 anos incompletos. Cada integrante desses grupos recebe um adicional de R$ 50.

Mulheres são prioridade no Bolsa Família

Do número total de cidadãos contemplados pelo programa em dezembro, 32,37 milhões (58,1%) são do sexo feminino. O percentual chega 83,6% se for levado em conta as responsáveis familiares. O Bolsa Família tem, ainda, 40,67 milhões de beneficiários pretos ou pardos (73%).

Na divisão por regiões, o maior número de agraciados em dezembro se encontra no Nordeste, com 9,48 milhões em 1.794 municípios, a partir de um repasse de R$ 6,39 bilhões. Na sequência, vem o Sudeste, com 6,28 milhões de famílias e um repasse de R$ 4,2 bilhões.

Depois aparecem o Norte, com 2,6 milhões de famílias e o maior valor médio de repasse (R$ 707,34), o Sul (1,48 milhão de famílias agraciadas) e o Centro-Oeste, com 1,18 milhão de cidadãos contemplados pelo programa. Neste mês, 190 mil novas famílias do Brasil ingressaram no projeto. Desde março, já são 2,85 milhões de novas concessões.

Por fim, vale mencionar que foram contabilizados apenas aqueles que estão com registro ativo no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), o banco de dados utilizado para monitorar as famílias de baixa renda do país.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.