Mundo está próximo de atingir ponto não retornável da crise climática

De acordo com os autores do relatório, o planeta se aproxima de um cenário catastrófico irreversível por conta do atual aquecimento global

Um grupo de pesquisadores alertaram, no Global Tipping Points Report (Relatório Global de Pontos de Inflexão, em tradução livre), publicado na última quarta-feira (6) durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP28), que os cinco principais ecossistemas naturais estão ameaçados de danos possivelmente irreversíveis por conta do aquecimento global.

No estudo climático, “pontos de inflexão” consistem como momentos em que, por meio de pequenas alterações, é desencadeado um efeito dominó, cujas consequências podem ser impossíveis de reverter. O conceito, juntamente com as incertezas ligadas a ele, vêm sendo alvo de debates acalorados na comunidade científica.

De acordo com o relatório, a humanidade enfrenta um risco “sem precedentes” de atingir pontos de inflexão que podem culminar em um efeito dominó de catástrofes planetárias irreversíveis. A pesquisa é de autoria de uma equipe internacional composta por mais de 200 pesquisadores, sob coordenação da Universidade de Exeter, no Reino Unido, e do Bezos Earth Fund.

Cinco grandes sistemas já correm o risco de ultrapassar seus pontos de inflexão com o atual aquecimento global“, alertou o Instituto Potsdam para Pesquisa de Impacto Climático (PIK, na sigla em alemão), sediado na Alemanha e que também fez parte do relatório. Os ecossistemas naturais mencionados são:

  • 1. Os mantos de gelo da Groenlândia e o da Antártida Ocidental;
  • 2. O giro oceânico subpolar do Atlântico Norte;
  • 3. Recifes de coral águas quentes;
  • 4. E algumas áreas de permafrost (terrenos que tenha permanecido congelado durante pelo menos dois anos e que está formado por terra, rochas e sedimentos amalgamados em um todo pelo gelo).

Consequências e medidas preventivas

Se diversos pontos de inflexão forem superados, haveria também o risco de uma perda catastrófica da capacidade de cultivar plantas para produção de alimentos básicos, segundo os cientistas. Outro alerta feito pelos pesquisadores é que, sem uma ação de emergência para conter a catástrofe climática e ecológica, as sociedades poderão ser afetadas no caso de a natureza sair do controle.

Tendo em vista que as medidas governamentais de todo o mundo não são suficientes, os pesquisadores apresentaram seis recomendações para evitar pontos de inflexão negativos e até mesmo iniciar pontos de inflexão positivos. As sugestões incluem a interrupção das emissões provenientes de combustíveis fósseis e do uso da terra muito antes de meados do século.

Além disso, as consequências negativas devem ser mitigadas entre os grupos populacionais e países mais fortemente afetados. Sendo assim, também serão necessários, de acordo com os cientistas, esforços coordenados para desencadear pontos de inflexão positivos e aumentar a consistência em relação aos pontos de inflexão. Entre os exemplos de pontos de inflexão positivos, estão a expansão das energias renováveis e a mudança para a eletromobilidade.

A adoção dessas medidas poderia salvar milhões de vidas e, consequentemente, evitaria o sofrimento de bilhões e o prejuízo que pode chegar a trilhões de dólares. Por fim, a Universidade de Exeter destaca que o principal é iniciar uma restauração da natureza, uma vez que somos extremamente dependentes dela.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.