The Economist lista as cidades mais ricas e mais baratas do mundo

A revista britânica The Economist divulgou recentemente um relatório com as cidades mais ricas e mais baratas do mundo.

Uma das principais revistas de economia do mundo, a The Economist divulgou recentemente uma lista com as cidades mais ricas e as mais baratas do mundo. Todos os anos, o tablóide britânico, que é publicado semanalmente, faz essa listagem, tendo o dólar como principal referência monetária para analisar cada cidade.

De acordo com esse levantamento feito pela The Economist, a cidade mais cara para se viver no mundo está localizada em Singapura, país asiático que é sede de diversas empresas multinacionais. A pesquisa aponta que quanto mais forte for a moeda local, maior será a posição das cidades do país na lista. Ou seja, quanto mais forte a moeda, mais cara é a cidade, e quanto mais fraca for, mais barato é o local.

Em Singapura, existem mais de 5 milhões de habitantes e a moeda oficial é o dólar de Singapura, que é utilizado desde o ano de 1967. Lá, uma coisa que tem um valor de extremo luxo é o custo de um certificado necessário para comprar um carro. A versão mais barata deste documento no país superou a cifra de US$ 106 mil (R$ 521 mil) no início de outubro.

Cidades mais baratas e mais caras do mundo

Mesmo sendo um país pequeno, Singapura concentra um alto número de pessoas milionárias. Considerada como uma cidade-estado, ela permanece no pódio das cidades mais caras do mundo e ocupou essa posição em nove dos últimos 11 anos, de acordo com a The Economist.

Neste ano, ainda há um empate com a cidade de Zurique, localizada na Suíça. Ambas as cidades são tidas como capitais financeiras por conta dos negócios de grandes empresas que se concentram nestes locais. Apesar de não ser a capital suíça, Zurique é a maior cidade do país e constantemente ocupa as dez primeiras posições neste quesito.

“A ascensão (de Zurique) ao topo da lista deve-se principalmente ao fato de o franco suíço ter valorizado mais de 10% em relação ao dólar no ano passado”, explica a The Economist. Em 2020, Zurique liderou a lista como cidade mais cara do planeta.

“A cidade de referência da pesquisa é Nova York, portanto, se a moeda de um país se fortalecer, as cidades geralmente subirão no ranking”, explica a revista. Por sua vez, a cidade mais barata do mundo segue sendo Damasco, capital da Síria, mesmo após a média de preço na moeda local ter aumentado 321% no ano.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.