Desastre em Maceió: Braskem é a maior proprietária de imóveis da cidade

Responsável por um desastre socioambiental na cidade de Maceió, a Braskem é atualmente a maior proprietária de imóveis no município.

Uma das maiores empresas do Brasil, a Braskem está envolvida em um dos maiores desastres ambientais do país. Isso porque, desde 2018, a cidade de Maceió, capital do estado de Alagoas, acabou sendo atingida pelas consequências da mineração feita pela companhia na cidade. Ao todo, 5 bairros foram diretamente afetados e cerca de 60 mil pessoas tiveram que deixar suas casas após o evento que é considerado o maior tragédia socioambiental em uma área urbana no mundo.

Nos últimos dias, a Defesa Civil de Maceió ligou o alerta para os moradores de diversos bairros da cidade por conta da evolução do desastre. Ainda de acordo com a Defesa Civil, no acumulado, uma mina da Braskem cedeu cerca de 1,70 metro e havia afundado 7,4 centímetros. Mesmo a situação tendo ficado um pouco mais controlada no domingo (3), o alerta máximo permaneceu em voga, visto que a situação pode ser modificada a qualquer momento.

A exploração da Braskem no município começou há cerca de 40 anos, e o desastre se deu por conta de uma falha tectônica presente na cidade. A multinacional é a maior responsável pela produção de resinas plásticas nas Américas e conta com 36 plantas industriais distribuídas pelo Brasil, Estados Unidos e Alemanha. Além disso, a empresa também é a maior proprietária de imóveis na cidade de Maceió.

Braskem é a maior proprietária de imóveis em Maceió

Na capital alagoana, a companhia é proprietária de centenas de imóveis privados que pertenciam aos moradores de bairros atingidos pela erosão do solo como efeito da mineração. Os bairros afetados foram Bebedouro, Bom Parto, Farol, Mutange e Pinheiro, além da localidade de Flexal.

Além disso, os municípios de Pilar, Coqueiro Seco e Santa Luzia do Norte, vizinhos do local atingido, também podem ser afetados. Após um acordo feito com a prefeitura, a empresa também se tornou dona das áreas públicas nos bairros atingidos pelo crime ambiental. Com isso, o governador de Alagoas, Paulo Dantas (MDB), declarou que o acordo firmado entre a Braskem e a Prefeitura de Maceió transfere para a empresa de mineração cerca de 40% dos imóveis existentes na capital alagoana.

Atualmente, boa parte da população ainda reivindica indenizações por parte da empresa. De acordo com a Braskem, mais de 18 mil propostas de indenização já foram aceitas. Somados aos auxílios financeiros, o valor ultrapassa a marca de R$ 3,8 bilhões.

“No Termo de Acordo Socioambiental firmado com o Ministério Público Federal, com participação do Ministério Público do Estado de Alagoas e adesão integral do Município, a Braskem se compromete a não edificar nas áreas desocupadas, para fins comerciais ou habitacionais”, declarou a empresa por meio de uma nota oficial.

A Braskem ainda ressaltou que pretende participar das discussões em torno do Plano Diretor do Município. “Discussões futuras sobre a área e sua utilização poderão ser feitas a partir do Plano Diretor do Município, instrumento amplamente debatido pelas autoridades e a sociedade, ou seja, em nenhum momento a decisão sobre o futuro da área caberá exclusivamente à Braskem”, completa a nota.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.