Lula, Bolsonaro travam guerra de promessas com o Auxílio Brasil

0

Em um momento econômico tão difícil para os brasileiros, o Programa Auxílio Brasil deverá atender cerca de 20 milhões de famílias com R$600 a partir de agosto, se tornando um dos assuntos mais importantes na corrida eleitoral desse ano.

Por conta disso, o tema tem sido tratado frequentemente pelos dois candidatos mais bem avaliados pelas pesquisas até então, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT), que se auto intitula o criador do antigo Bolsa Família, e o atual presidente Jair Bolsonaro (PL), que rebatizou o programa para Auxílio Brasil.

Ambos os candidatos são atores antigos da política nacional e compreendem muito bem a importância de um programa de transferência de renda para as eleições, principalmente as presidenciais, e, por isso, trataram logo de fazer promessas sobre o assunto.

O Auxílio Brasil foi criado em novembro do ano passado para substituir o antigo Bolsa Família no atendimento as famílias em situação de vulnerabilidade social inscritas no Cadastro Único do governo federal, o CadÚnico.

Empréstimo Consignado Auxílio Brasil

Bolsonaro e o Auxílio Brasil

Bolsonaro sempre foi muito crítico a programas sociais como o Bolsa Família durante seus mandatos como parlamentar, mas a situação mudou quando o auge da pandemia em 2020 obrigou o governo a pagar o Auxílio Emergencial e o impopular presidente viu sua aprovação aumentar entre os mais pobres.

Após alguns meses os pagamentos deixaram de ser feitos e Bolsonaro voltou a enxergar seus níveis de rejeição aumentarem, juntamente com o preço dos alimentos, e, em novembro do ano passado, um programa de transferência de renda para chamar de seu passou a ser uma realidade no atual governo.

Recentemente, a menos de cem dias das eleições, o governo conseguiu aprovar junto ao Congresso o pagamento de R$600 até dezembro, e o presidente tem prometido desde então que, se reeleito, deverá manter os pagamentos de R$600, desde que o Congresso aprove uma outra proposta nesse sentido.

Lula também falou sobre o tema

Já o ex-presidente Lula, que carrega sobre si a fama de ter criado o Bolsa Família, ainda que o programa tenha sido a unificação de diversos benefícios criados no governo anterior, também se pronunciou dizendo que é necessário manter os pagamentos de R$600 em 2023.

Porém, internamente, os petistas sabem que o teto de gastos, que limita os gastos do governo ao valor gasto na ano anterior corrigido pela inflação, não deixa espaço orçamentário para manter os R$600 e admitem que se isso acontecer será necessário mexer na base do programa, excluindo beneficiários.

Entretanto, o assunto tende a render votos e, por isso, é muito vantajoso politicamente para ambos os candidatos se atacarem e fazerem promessas sobre o tema, ainda que a realidade orçamentária brasileira não seja tão compreensiva com discursos eleitorais populistas, sejam eles de esquerda ou de direita.

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais

Empréstimo do Auxílio Brasil não saiu por isso Empréstimo consignado do Auxílio Brasil travou por esse motivo Consulta Auxílio Gás junho liberada no aplicativo Calendário Auxílio Brasil abril 2022 começa nesta semana Empréstimo consignado do Auxílio Brasil e BPC segue indefinido