Auxílio Brasil: relator pretende proibir lista de espera para receber o benefício

O relator do Auxílio Brasil, deputado Marcelo Aro (PP-MG), anunciou que pretende proibir a lista de espera para receber o benefício. 

Trata-se do novo projeto de repasses financeiros do Governo Federal, que irá substituir o Bolsa Família.

O programa atual atende aproximadamente 14 ,5 milhões de famílias e conta com uma fila de mais de 2 milhões de famílias aptas (aguardando para receber).

Como forma de manifestar sua insatisfação com o número expressivo de brasileiros aguardando, o deputado já anunciou que irá acabar com este tipo de delonga.

ATUALIZAÇÃO DO CADASTRO ÚNICO, VOLTA DOS 600 E FUTURO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

Além disso, o parlamentar também criticou o texto que cria o novo projeto. Para ele, as informações precisam estar mais claras, como por exemplo, o valor exato que contemplará as famílias em situação de vulnerabilidade social. 

Auxílio Brasil não terá fila?

O Governo Federal prevê contemplar cerca de 16 milhões de famílias com o novo Bolsa Família.

Para isso, precisarão abrir, no mínimo, mais 1,5 milhão de vagas através do Auxílio Brasil.

No entanto, o texto não prevê o fim da fila de espera para fazer parte do programa atual. E, quando possui fila no projeto, o orçamento precisa ser previsto. 

Como acabar com a fila de espera?

Para que a fila de espera do Bolsa Família que será substituído pelo Bolsa Família, é preciso que seja aprovado o orçamento e a fonte de custeio do programa. 

A Medida Provisória (MP) já foi publicada no Diário Oficial da União, mas ainda segue sendo analisada pelos deputados e senadores.

Inicialmente, a previsão era que o programa entrasse em vigor em novembro deste ano. Todavia, não há mais uma data definida para isso. 

Auxílio Emergencial irá até dezembro?

O Governo Federal previa que o Auxílio Brasil fosse vigorado em novembro, devido ao fim do Auxílio Emergencial em outubro.

Neste mês, a 7ª parcela do recurso de emergência encerra o ciclo que foi prorrogado por mais três meses em julho.

Todavia, com a grande demora para acordar o novo programa, é possível que o Auxílio Emergencial seja prorrogado mais uma vez.

Isso porque existe a preocupação de que as pessoas que vivem em situação de pobreza e extrema pobreza, fiquem desorientadas financeiramente.

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais